Cidadeverde.com
Últimas

Motorista que usa aparelho auditivo é multado por 'dirigir com fone'

Imprimir

O aposentado Luiz Antônio Martini, de 68 anos, morador de Sorocaba (SP), levou um susto quando foi pagar dívidas envolvendo a documentação do seu carro em novembro deste ano. Além de descobrir que havia sido multado três vezes por dirigir 20% acima do limite de velocidade, ainda notou uma quarta multa, esta por "dirigir veículo utilizando fone no ouvido conectado aparelho/celular". Segundo Martini, o erro está no fato dele ter deficiência auditiva e fazer uso nas duas orelhas de aparelho auditivo.

"Eu não escuto direito nem o barulho do motor do carro, para quê iria usar um fone de ouvido? Eu também não escuto o celular tocar, mesmo colocando no último volume. Isso só mostra que os amarelinhos [como são chamados os agentes de trânsito de Sorocaba] multam sem avaliar direito a situação", desabafou o aposentado que perdeu mais de 50% da audição.

Por meio de nota, a Urbes – empresa que administra o trânsito em Sorocaba - informou que os agentes de trânsito são devidamente treinados e somente multam na certeza do cometimento da infração. "Com relação a multa do Sr. Luiz, o orgão informou não possuir informações e elementos suficientes para esclarecer o fato."

A empresa também informou que qualquer infrator, respeitados os prazos, tem o direito a recorrer da penalidade diretamente junto ao órgão por meio de Defesa Prévia e ainda, em 1ª Instância na Junta Administrativa de Recursos de 3 Infrações (Jari) e, por fim, em 2ª Instância no Conselho Estadual de Trânsito de São Paulo (Cetran-SP).

Quando Luiz ficou a par da penalidade, até pensou em recorrer da multa, mas ao levar em conta o valor de R$ 85,12, ele preferiu pagar para evitar toda a burocracia do que comprovar que usa o aparelho auditivo. "O valor da multa não é muito alto. Não adiantava recorrer. Eu ia gastar até mais pra isso."

Apesar de ter pago a multa, o aposentado relata que acha importante que situações assim venham à tona para alertar os motoristas de Sorocaba. "A população precisa saber que eles estão multando qualquer um, sem critério. Nem olham direito e já saem anotando tudo no papel", indigna-se o motorista.

Perda da audição
A surdez parcial surgiu na vida de Luiz há pouco mais de quatro anos. Por ter trabalhado por muitos anos em indústria e madeireira, ainda mais sem o equipamento de proteção necessário, a audição dele foi prejudicada. "A idade pegou também e eu percebi que não consegui mais ouvir minha mulher e meu filho direito, foi aí que procurei um médico."

No consultório, ele ouviu a triste notícia: mais de 50% da audição havia sido comprometida. Para tentar amenizar o dano e auxiliá-lo a ouvir um pouco melhor, mesmo diante do diagnóstico, o médico orientou que Luiz usasse o aparelho auditivo nas duas orelhas.

Algo que ele nunca imaginou que poderia acabar lhe rendendo uma multa. "Que fique o alerta, para que antes deles multarem prestarem a atenção. Eu preferi pagar para não ter dor de cabeça, mas tem gente que não tem condições", finaliza.

Fonte: G1

 

Imprimir