Cidadeverde.com
Política

Alvo de novo processo, Jucá se diz vítima de "fixação" de Janot

Imprimir

 

Alvo de mais uma denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) rebateu as acusações e disse ser vítima de uma "fixação" do procurador-geral da República, Rodrito Janot. O parlamentar insinuou até que o procurador teria "fetiche" por seu bigode.

A denúncia foi apresentada ontem ao Supremo Tribunal Federal (STF) e acusa Jucá de receber R$ 150 mil de propina para beneficiar a construtora Odebrecht em duas medidas provisórias. Em um trecho, Janot cita que "a palavra de um homem está no fio do bigode". A frase foi ironizada hoje por Jucá: "não sei se é um fetiche", disse em Brasília (DF), em entrevista coletiva acompanhada pela TV Cidade Verde.

"Estou muito tranquilo, continuo tranquilo, não tenho nada a dever, não tenho nada que me comprometa", declarou o senador. "Eu confio na Justiça. Quem parece que não confia na Justiça é o senhor Rodrigo Janot". 

Jucá alegou que a denúncia diz respeito a algo que a Polícia Federal ainda não concluiu investigação. "Assodadamente, intempestivamente, o senhor Rodrigo Janot apresenta uma denúncia sem receber os autos da investigação", criticou. 

Lembrando que Janot deixará o cargo em setembro, Romero Jucá disse que a despedida do procurador-geral está sendo melancólica e defendeu que o representante do Ministério Público Federal não pode ser justiceiro e passar por cima da Justiça. 

Com informações da TV Cidade Verde
[email protected]

Imprimir