Cidadeverde.com
Esporte

Operário-PR perde para o Globo-RN, mas ainda assim é campeão da Série D

Imprimir

A festa estava armada. Não terminou da forma que a torcida seria, mas ainda foi suficiente para que o Operário fizesse história. Na noite deste domingo, o Fantasma foi derrotado por 1 a 0 pelo Globo-RN, no segundo jogo da final da Série D do Campeonato Brasileiro, mas conseguiu se sagrar campeão da quarta divisão nacional.

O Operário havia ganhado o primeiro duelo por 5 a 0, jogando fora de casa, e podia perder por até quatro gols de diferença para ficar com a taça. Foi a primeira conquista nacional do Operário em seus 105 anos de história. O troféu da Série D ficará ao lado da conquista do Campeonato Paranaense de 2015 na galeria do time paranaense.

Este foi o primeiro título da Série D da Região Sul do Brasil e, consequentemente, o primeiro do Paraná. O Londrina havia chegado perto em 2014, terminando na terceira posição. Bicampeão Brasileiro, com Coritiba e Atlético-PR, o estado não "levantava" uma taça nacional desde 2010, quando o Coxa venceu a Série B do Brasileiro.

A chance de ficar com a taça era pequena pelos lados do Globo, mas isso não era dizer que a equipe havia desistido. Os potiguares começaram o duelo com uma postura ofensiva, trocando passes com precisão no campo de ataque e assustando o adversário. Aos 14 minutos, Reinaldo arriscou de longe e quase acertou o gol.

Melhores no jogo, os visitantes conseguiram abrir o placar aos 24 minutos. Depois de cobrança de escanteio, Tiago Lima pegou a sobra dentro da área depois de duas divididas e bateu para o fundo das redes.

Logo em seguida, o Operário tentou responder com Lucas Batatinha, mas Desaev caiu bem para fazer a defesa. No restante da partida, muita briga e pouco futebol.

O duelo seguiu brigado no começo da segunda etapa, mas o Operário voltou com uma postura diferente e passou a ser mais agudo no campo de ataque. Homem mais acionado do Operário, Lucas Batatinha foi o responsável por comandar o setor de frente da equipe paranaenses.

E ele deu conta do recado. Aos dez minutos, o centroavante obrigou Dasaev a fazer grande defesa após chute de fora da área. Ainda tinha muito jogo pela frente, mas a partida ficou em segundo plano com a festa dos torcedores na arquibancada.

O gol anulado de Sosa acabou passando batido após falta no goleiro acabou passando batido em meio às vibrações que vieram das arquibancadas. Desta forma, foi só esperar o tempo passar e levantar a taça.


Fonte: Futebol do interior

Imprimir