Cidadeverde.com
Geral

Caso Salve Rainha: TJ-PI não aceita recurso e Moaci Júnior vai a Júri Popular

Imprimir
  • e61137ad-0bb9-492e-87f7-d814ab337209.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • e2c64521-55b2-4d97-b708-13821dcdadb5.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • dc84267b-a5fc-46ce-9500-40743f4966d3.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • a8696239-6e2b-4a50-98a3-c7a95b211414.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 34359b54-be71-419e-b566-93a9859c541a.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 772d72bd-e1d1-421c-b779-029af3897056.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 76b10263-b45f-4f88-b122-bd6409d0db99.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 71c8477d-c990-46da-b5f2-4ba254f4e98b.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 33b5240f-19a4-4da5-9dbd-e32e2ef4548a.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 2f7aeaed-402f-4ea8-9e8c-38898a2571ee.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com
  • 2cc23e10-abfa-46b6-9691-368dedce2cf9.jpg Wilson Filho/Cidadeverde.com

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) não atendeu ao recurso apresentado pela defesa de Moaci Moura da Silva Junior e ele irá a Júri Popular. A negação do provimento ocorreu por unanimidade. 

A sessão, realizada nesta sexta-feira (17), foi presidida pelo desembargador Sebastião Ribeiro Martins; também participaram os desembargadores Eulália Maria Ribeiro Gonçalves Nascimento Pinheiro e Pedro Macedo. 

O julgamento contou com a presença de familiares dos irmãos Bruno Queiroz e Júnior Araújo, que morreram em decorrência de um acidente de trânsito provocado por Moaci Junior no dia 26 de junho de 2016. Eles eram integrantes do Coletivo Salve Rainha, sendo Junior o idealizador do projeto. 

O recurso da defesa pediu que o homicídio ficasse enquadrado como culposo, sem intenção de matar, e fosse julgado na vara específica de julgamento de crimes de trânsito. Neste caso, se condenado, Moacir teria penas mais brandas.

O único sobrevivente do acidente e que estava no carro junto com os irmãos, o jornalista Jader Damasceno, também compareceu ao julgamento. Na tarde de ontem (16), ele chegou a divulgar um vídeo pedindo por justiça. 

O pai do Junior e Bruno, que acompanhou a sessão, preferiu não comentar muito sobre o caso, apenas disse que “por enquanto foi bem, mas vamos aguardar” pelo final do processo.

A advogada Jackeline Carvalho que faz a acusação contra o Moaci disse que a defesa alegou não se tratar de dolo eventual e não cabe ao Tribunal de Justiça analisar crime culposo, e sim doloso. 

“A nossa fundamentação é que houve um crime em várias circunstâncias. A acusação fica satisfeita com a decisão e sociedade é que prevalece e quem deve decidir é o tribunal do júri”, defendeu. 


Moaci Moura da Silva Junior 

O acidente

A colisão que vitimou Júnior Araújo e seu irmão Bruno Queiroz Rainha aconteceu, no dia 26 de junho do ano passado, quando os dois e  oJader Damasceno deixavam o Parque da Cidadania. O Fusca em que os três estavam foi atingido violentamente pelo Corolla dirigido por Moaci na Avenida Miguel Rosa. 

Bruno morreu no local, o irmão ainda resistiu quatro dias no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). 

No inquérito que apurou a colisão de trânsito, ficou provado que o indiciado Moaci Júnior trafegava a aproximadamente 100 Km/h (fato apurado por três metodologias distintas) e invadiu sinal vermelho (fato provado tanto por perícia como por prova testemunhal)


Fusca em que vítimas estavam ficou destruído

 

Flash Yala Sena
redacao@cidadeverde.com 

Imprimir