Cidadeverde.com
Geral

Exames atestam presença de anfetamina no motorista da carreta

Imprimir

O delegado regional de Timon/MA, Francelino de Jesus, confirmou ao Cidadeverde.com na noite desta quarta-feira (22) que exames preliminares atestam a presença de anfetaminas no organismo de Valdemar Alves Neto, motorista da carreta que provocou o grave acidente de terça-feira na BR-316, entre Timon e Caxias. O acidente envolveu seis veículos e acabou com seis mortes e 12 pessoas feridas.
 
O motorista da carreta de placa MQF-9800, de Goiás, tem 44 anos e alegou em seu depoimento que não teve como desviar dos veículos que estavam parados mesmo a 50km/h, velocidade que ele afirma estar na hora do acidente. Ele culpou a sinalização no trecho em obras pelo acidente. No entanto, os resultados preliminares de exames de urina e sangue feitos em São Luís/MA atestam a presença de anfetamina no organismo de Valdemar.

O laudo definitivo só sairá em 10 dias. Ele poderá afirmar a quantidade de anfetamina existente no organismo de Valdemar, e se ela é suficiente para ter provocado sonolência ao volante na hora da tragédia. A polícia decidiu fazer os exames ao constatar que visualmente o acusado não tinha condições de dizer sequer onde morava. Ele foi indiciado por homicídio doloso com dolo eventual, quando não há intenção de matar, e está preso no presídio Jorge Vieira, em Timon.
 
A droga é usada por alguns caminhoneiros por provocar insônia, mas o organismo pode reagir de forma diferente ao uso prolongado da mesma. No Brasil, ela está presente apenas em medicamentos controlados que só podem ser vendidos com receita médica. No entanto, as pílulas conhecidas como arrebites são comercializadas clandestinamente e usadas por motoristas para ficarem acordados. Além de tudo, a droga pode causar dependência.
 
Tags:
Imprimir