Cidadeverde.com
Economia

Inadimplência causou rombo na Eletrobras de R$ 260 milhões em 2017

Imprimir

A inadimplência causou um rombo na Eletrobras Piauí (Cepisa) de R$ 260 milhões em 2017. Os números constam no relatório financeiro da empresa publicado no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (16). Em relação a 2016, a inadimplência cresceu 0,2%, o que corresponde a R$ 28 milhões. De acordo com a Eletrobras, que deve ser leiloada no próximo mês, alguns fatores foram impactantes para o aumento da inadimplência como a conjuntura econômico-financeira do país; o aumento tarifário médio de 27,63% no final de Setembro/2017 e o reajuste do valor das bandeiras tarifárias (cenário vermelho), que saíram do valor de R$ 2,50 para cada 100 kW/h consumido e atingiram o valor de R$ 5,0.

Apesar do buraco deixado pela inadimplência, a Eletrobras conseguiu arrecadar em 2017, o valor de R$ 1.933.901.711,67, o que representou uma Taxa de Arrecadação Financeira (TAF) de 96%, calculada pela razão entre o montante faturado e o arrecadado durante o ano. Segundo o relatório, a leve redução da TAF registrada em 2017 quando comparada ao ano de 2016 foi motivada principalmente pelo reajuste tarifário médio e pelo o aumento do valor do adicional das bandeiras tarifárias.

Comportamento do mercado

De acordo com a empresa, o mercado cativo, composto pelos clientes atendidos no Piauí, cresceu 2,36% no ano de 2017 em comparação ao ano de 2016, correspondendo a um consumo total de 3.410.574 MWh. Já o mercado distribuído, que equivale ao somatório dos mercados cativo e livre (aquele onde os consumidores têm opções de escolha de contratação e flexibilização de seu suprimento de energia), apresentou um crescimento de 2,88%, alcançando o consumo total de 3.474.519 MWh.

O relatório mostra que o crescimento do consumo de energia elétrica no Piauí, apesar de ter sido registrado o menor índice dos últimos anos, ainda alcançou desempenho maior que o índice nacional e da região Nordeste. O consumo de energia no Brasil apresentou crescimento de 0,8% em relação ao ano anterior, primeiro resultado positivo dos últimos 3 anos, motivado pela retomada da atividade industrial, e a região Nordeste permaneceu estável com variação de 0,1%.

No Piauí, a classe residencial registrou crescimento de 3,11%, índice menor que o apresentado na série histórica dos últimos anos, influenciado pelas temperaturas mais amenas e pelos altos índices pluviométricos registrados no primeiro semestre do ano de 2017. A classe comercial registrou uma retração do consumo anual de -1,59%, relacionado diretamente à migração de consumidores cativos para Ambiente de Contratação Livre ACL. A maior taxa de crescimento do consumo, com 22,02%, foi observada no segmento Iluminação Pública, justificada pela execução do Projeto de Recadastramento da Iluminação Pública junto aos municípios piauienses.

Número de consumidores

De acordo com a Eletrobras, o número de consumidores faturados em dezembro de 2017 apresentou um crescimento de 3,19% sobre o mesmo mês do ano anterior. A Empresa registrou o total de 1.266.470 consumidores ativos, o que representa um incremento líquido de 39.137 consumidores, motivado principalmente pelo atendimento às novas unidades habitacionais vinculadas a programas governamentais.

Perda de energia

O relatório mostra que a perda total no ano foi reduzida em 150.068 MWh, em relação ao ano de 2016, o que implicou em uma redução de 2,65 pontos percentuais no ano, concluindo 2017 com um resultado de 28,01%, ante os 30,66% realizados no ano anterior.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Imprimir