Cidadeverde.com
Geral

Sindicalistas se acorrentam dentro do Karnak em protesto por reajuste salarial

Imprimir

Diretoras do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde no Piauí (Sindespi) se acorrentaram dentro do Palácio de Karnak, nesta sexta-feira (13/07), em protesto contra o descumprimento do governo do estado de conceder o reajuste de 2,95% prometido para a categoria da Saúde no Piauí, após seguidos protestos.

A Direção do Sindespi informa que durante toda a semana as diretoras do Sindicato estiveram no Karnak cobrando a Secretaria de Governo, que informou que a minuta com o reajuste para a Saúde estava assinada e já tinha sido enviada para a Assembleia, que entra em recesso nesta sexta-feira (13/07). Mas segundo o sindicato, o governo mentiu e nada foi enviado à ALEPI, enganando a categoria.

“Mentiram e enganaram a categoria da Saúde. Disseram que a mensagem de reajuste já tinha sido assinada pelo Governador e enviada para Assembleia, mas não foi. Os servidores de todo o Estado já tinham sido informados do reajuste conquistado após seguidos protestos. Agora vemos esse desrespeito, por isso estamos acorrentadas aqui no Karnak e só sairemos quando tivermos uma resposta e a garantia do reajuste para os servidores da Saúde”, afirmou Edna Martins, presidente do Sindespi.

Matéria inicial

Diretores do Sindicato dos Empregados em Estabelecimento de Saúde do Piauí (Sindespi) relataram ao Cidadeverde.com que o Governo do Estado não encaminhou para a Assembleia Legislativa do Piauí o projeto de lei que estabelece o reajuste dos servidores ativos e inativos. 

“Não foi encaminhado. Esse governo quer dar calote na categoria. Precisamos de uma resposta, saber o que aconteceu. O governo não está assumindo o compromisso já firmado com a categoria da saúde”, declarou a presidente do Sindespi, Edna Martins. 

Edna Martins a proposta a ser enviada é de reajuste para todos os servidores em 2,95%. 

Ela relatou ainda que a exclusão da insalubridade e do adicional para complemento do vencimento, e o enquadramento dos atendentes de enfermagem na Lei dos Profissionais de Saúde. “Não sabemos como de fato ficou”, lamentou a sindicalista. 

Das pautas discutidas, apenas um ponto já foi atendido e faz referência ao reajuste do auxílio transporte. 

A diretoria aguarda uma reunião com a Secretaria de Governo. O Cidadeverde.com aguarda esclarecimento da Coordenadoria de Comunicação do Estado.  


Carlienne Carpaso (Com informações do Sindespi)
carliene@cidadeverde.com 

Imprimir