Cidadeverde.com
Política

Marcelo Castro defende política de descentralização da saúde

Imprimir


Foto:Ascom

O deputado federal Marcelo Castro, pré-candidato do MDB ao Senado Federal, defende a continuidade do processo de descentralização da saúde no Piauí. Segundo ele, essa foi uma das ações iniciadas quando esteve à frente do Minsitério da Saúde.

 Para o candidato, o incremento do atendimento de média e alta complexidades, especialmente de urgência e emergência, é fundamental nos polos regionais de desenvolvimento. Marcelo avalia que essa política  possibilitará a redução da sobrecarga da rede de saúde de Teresina e a oferta de um melhor serviço à população. 

“Como ministro, dei início a um processo de descentralização da saúde pública no Piauí. O tratamento de câncer, por exemplo, era oferecido unicamente no Hospital São Marcos, em Teresina. Expandimos esse serviço para o Hospital Universitário e também para Parnaíba”, exemplificou.

 Marcelo Castro ressalta que foram liberados, durante sua gestão, R$ 15 milhões para a rede pública de saúde em Parnaíba, segunda maior cidade do Piauí, com ampliação do serviços de urgência, emergência e tratamento intensivo. “Com a descentralização para Parnaíba e Picos, você alivia a rede de Teresina do atendimento de um terço da população do Piauí”, acrescentou.

De acordo com o candidato, a proposta é dar continuidade a esse processo de descentralização, investindo para além da atenção básica nas cidades de Parnaíba, Picos e Bom Jesus, já incluídas no projeto do Ministério da Saúde, além de Floriano e Oeiras, cidades-polo de suas regiões.

“Enquanto estive à frente do Ministério da Saúde, ampliei os recursos da saúde no Piauí para 202 milhões de Reais ao ano. Apenas o HUT (Hospital de Urgências de Teresina) passou a receber 60 milhões de Reais a mais por ano. E isso levou a uma sensível melhora no atendimento - claro, graças também a uma gestão competente do hospital”, detalhou. 

Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com 

Imprimir