Cidadeverde.com
Política

No DF, Marina declama poema e defende escola integral

Imprimir

 (FOLHAPRESS) - A candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, assinou nesta quinta-feira (23) uma carta de compromisso com a primeira infância, declamou um poema de autoria própria aos alunos e defendeu a escola integral.

O texto da carta, assinado em evento em uma escola pública de tempo integral do Gama (região administrativa do Distrito Federal), traz o compromisso de criação de um "Pacto Interfederativo pela Primeira Infância".

A candidata já havia assinado o termo de compromisso eletrônico no dia 13 de agosto.

"Nós sabemos que o que faz a diferença na vida de uma pessoa é a educação", afirmou a candidata.

A candidata defendeu a educação em tempo integral. "Se todas as crianças tivessem acesso a uma estrutura como essa isso se refletiria, se refletirá, no desenvolvimento dessas crianças", afirmou.

Marina depois ouviu apresentação musical dos alunos, que tocaram a música tema do filme "Titanic", "My Heart Will Go On", de Celine Dion, e "Aquarela do Brasil".

Ela foi acompanhada dos coordenadores de campanha e de candidatos da Rede no Distrito Federal.

POEMA
Marina aproveitou a visita à escola para declamar um poema de sua autoria, prática que tornou comum nas duas primeiras tentativas de chegar à Presidência.

"A arte mesmo sem voz é profética, mesmo sem rima é poética", diziam os primeiros versos, que a ex-senadora explicou ter inspiração do quadro "O Grito", do norueguês Edvard Munch.

Para uma plateia de alunos de ensino fundamental, discorreu sobre a pintura: "Dizem que ele teve uma irmã que morreu de tuberculose e dizem que ele pintou o horror por que a natureza era mais forte que os seres humanos."

Ela relembrou a sua trajetória. "Até os 16 anos, eu nunca tinha ido numa escola", afirmou Marina, que só foi alfabetizada na adolescência. "A escola fez uma diferença enorme na minha vida e me levou até onde estou agora", disse.

Imprimir