Cidadeverde.com
Política

Valter Alencar quer acabar com o DER e gerar 50 mil empregos

Imprimir

O candidato do PSC ao governo do Piauí, Valter Alencar, afirmou nesta segunda-feira (24) que vai extinguir o Departamento de Estradas e Rodagens (DER), caso seja eleito.  Ele também prometeu criar 50 mil empregos no Piauí. A ideia do candidato, que participou da séria de entrevistas "Fala Candidato", do Jornal do Piauí, é incorporar o DER à Secretaria de Infraestrutura. 

“Irei desativar o prédio do DER e junto com a estação ferroviária irei unir tudo em um grande centro cultural. Vamos criar uma secretaria de infraestrutura e iremos promover o desenvolvimento. Não precisamos ter solução mágica.”, disse Valter Alencar, ressaltando que seu governo terá apenas 11 secretarias.

O candidato também quer implementar  um novo modelo de cultura no Estado. “Eu quero extinguir esse modelo arcaico e atrasado, cm os artistas do Piauí desprestigiados. Eu vou é incentivar a cultura de forma correta, com programação. O São João aqui nos folguedos se faz em setembro e não em junho. Os gestores servem para se beneficiar, trocar favores. Os artistas estão insatisfeitos. Não temos nem um centro cultural. Os artistas aqui ficam só a ver navios”, declarou.

Com a máquina enxuta, o candidato aposta em mais eficiência para governar e gerar mais emprego. “Eu vou gerar emprego no agro tecnológico e na agricultura familiar. São 50 mil empregos”, afirmou.

Valter Alencar prometeu ainda uma auditoria no Estado, assim que assumir o Palácio de Karnak, caso vença as eleições.  “Irei convocar os Ministérios Públicos e teremos uma força tarefa para buscar os recursos desviados. Eu vou auditar, chamar o MP, que é inibido”, disse.

Foto: Catarina Malheiros

Política nova

Ainda na entrevista, o candidato se comprometeu a fazer uma nova política. “O PSC veio numa ideia de fazer uma política nova. As pessoas não aguentam mais esse modelo que está aí, onde o estado não anda pra frente e está atrasado. Precisamos governar onde não seja privilegiando com os cabides políticos e não se perpetuar no poder”, finalizou.

Hérlon Moraes
herlonmoraes@cidadeverde.com

Imprimir