Cidadeverde.com
Geral

Empresário é preso suspeito de roubo e sequestro de gerente de banco

Imprimir

Apreensão da carga de TVs roubadas (Foto: Catarina Malheiros/ Cidadeverde.com)

Pela quarta vez, em sete meses, o empresário Arthur Alencar do Nascimento, foi conduzido à delegacia. Desta vez, o jovem estaria envolvido no roubo de mais de 100 TVs do depósito das Casas Bahia, em dezembro do ano passado em Teresina, e no sequestro do gerente do Banco Itaú, em janeiro de 2019, também na Capital, de acordo com o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco).

Arthur Alencar foi preso no último sábado (08), na cidade de Belo Jardim-PE. 

"No roubo da carga das Casas Bahia, ele participou diretamente e foi reconhecido, bem como no caso do sequestro do gerente do Itaú em que ele forneceu os carros usados no crime", informou o delegado Tales Gomes, coordenador do Greco. 

Na semana passada, seis suspeitos de participação nas duas ações criminosas foram presos. 

"Com essa prisão se chega a sete presos no caso da carga das Casas Bahia e do sequestro do gerente. Arthur, assim como os demais investigados, será indiciado por roubo majorado no casa do roubo da carga e por extorsão mediante sequestro e organização criminosa no caso do sequestro", disse Tales Gomes.

Ao Cidadeverde.com, Jaylles Fenelon, advogado do empresário, informou que seu cliente está preso em cumprimento a mandado de prisão temporária pela acusação de envolvimento no roubo do depósito das Casas Bahia. 

"O mandado de prisão é de 30 dias e ele já está preso há dois. Sobre essa acusação, ele disse que não tem nada a ver. Inclusive, eu o orientei que, se tivesse participação, confessasse porque teria redução de pena. Contudo, ele diz que não participou e prestará os esclarecimentos ao delegado. Sobre a outra acusação, desconheço", disse Jaylles Fenelon, ao Cidadeverde.com. 

Em agosto de 2018, Arthur foi preso suspeito de assaltos e arrombamentos a veículos; em novembro de 2011, a Polícia Civil encontrou quase R$ 3 milhões em notas falsas, no apartamento do empresário; em janeiro de 2019, o jovem foi encaminhado à delegacia durante abordagem, no qual os policiais encontraram mais notas sem valor, cartões de crédito com nomes diferentes e celulares em seu carro de luxo.

 

Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir