Cidadeverde.com
Geral

Morre motorista de app vítima de perfuração no pescoço; família doa órgãos

Imprimir

(Foto: Reprodução/ Facebook: Alexandre Anderson)

O motorista de aplicativo identificado como Alexandre Anderson Cardoso Cabral, 34 anos, morreu após quase 20 dias internado no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). O jovem morreu na última terça-feira (12)  após complicações de um aneurisma. A família resolveu doar o fígado, córneas e rins da vítima.

Alexandre Anderson foi encontrado desacordado dentro do próprio carro, em um posto de combustíveis na BR-316, no bairro Porto Alegre, zona Sul de Teresina. O rapaz tinha perfurações no pescoço, supostamente, provocadas com a chave de uma moto. 

O suspeito foi preso na tarde do último dia 21, mesmo dia do crime. Lucas Rafael de Moraes Lustosa, 26 anos,  alegou que estava sendo ameaçado pela vítima.  De acordo o delegado Ricardo Moura Lemos, que era titular do 23º Distrito Policial na época do crime, vítima e suspeito se conheciam e a discussão entre os dois teria sido motivada por dinheiro. 

"No dia da prisão, o suspeito contou que estava devendo um dinheiro para a vítima que começou a cobrá-lo. O suspeito disse que estava bebendo com uns amigos e o Alexandre passou e parou perto de onde estavam. Então, ele conta que imaginava que o Alexandre estava tramando algo contra ele. Nisso, se aproximou do carro da vítima, os dois iniciaram uma briga e o Alexandre acabou ferido", disse o delegado. 

A diretora geral do HUT, Clara Leal, disse hoje em entrevista ao Jornal do Piauí o que ocasionou a morte de Alexandre. “Só aquelas escoriações na região do pescoço não justificariam o tamanho daquela hemorragia no cérebro, mas no exame de angiotomografia, não se confirmou aneurisma. Daí ele teve depois complicações que, ao invés de permanecer apenas com hemorragia, teve isquemia do hemisfério cerebral completo, que foi essa ocorrência que determinou o quadro final. Não houve como reverter”. 

A diretora informou que a família decidiu por doação, então os órgãos foram captados.

 

Câmeras de segurança de um posto de segurança registraram o momento em que o suspeito chega em uma motocicleta e se aproxima do carro da vítima. 

Alexandre foi ferido por volta de 2h e só foi socorrido às 8h. Em decorrência da perda de sangue, ele teve um AVC hemorrágico ainda no dia do crime. O sepultamento acontece na manhã desta quinta-feira (14), no cemitério Jardim da Ressurreição. 

Com a morte, Lucas Rafael deve ser indiciado por homicídio. 


Graciane Sousa
gracianesousa@cidadeverde.com

Imprimir