Cidadeverde.com
Geral

Secretário de Administração se reúne com grevistas da Uespi

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

O atraso no pagamento das bolsas de alunos e o questionamento jurídico sobre a promoção dos professores, ainda do ano passado, são os dois pontos, em meio a inúmeras outras demandas, que o secretário de Administração e Previdência (SeadPrev), Ricardo Pontes, acredita estar mais perto de solucionar em relação a Universidade Estadual do Piauí (Uespi). Os professores estão em greve desde o dia 18 e os alunos ocuparam a reitoria reivindicando melhorias. 

Pontes afirmou que o pagamento será acertado com a Secretaria de Fazenda e a questão jurídica das promoções aguarda uma resposta da Procuradoria Geral do Estado (PGE).

"Nos reunimos com os professores e também com os alunos. Fizemos uma reunião ampliada e longa, foi até tarde da noite. Avançamos em vários pontos. São muitos problemas da UESPI. O propósito do governador Wellington Dias é ir resolvendo e não podemos atender a todas as reivindicações de uma vez, mas o que for possível já iremos resolver. Adiantamos algumas coisas e uma nova reunião deve ocorrer na sexta-feira(29)", disse o secretário, que pediu que os docentes retornassem às aulas.

Entre as demandas estão: o pagamento de bolsas e funcionários terceirizados; ampliação da assistência estudantil; melhor infraestrutura para todos os campi; progressão, promoções e regime de trabalho de professores; convocação de professores classificados no último concurso; reajuste salarial; novo concurso para professor e autonomia financeira da UESPI.  

O secretário autorizou o lançamento de editais de programa de assistência estudantil em 2019 e na infraestrutura, a proposta é retomar as obras da biblioteca do campus Poeta Torquato Neto.

Segundo a coordenadora Geral da Associação dos Docentes do Ensino Superior do Piauí (Adcesp), Rosângela Assunção, a reunião permitiu a possibilidade de uma conversa com o governo.  "Vamos buscar esse diálogo para ver se conseguimos avançar nas pautas”, destacou.

Para a representante do movimento estudantil, Maria Antônia da Silva, a reunião não foi tão positiva. “Esperamos que nas próximas negociações tenhamos um diálogo melhor para conseguirmos pautar de fato nossas demandas”, afirmou aluna do curso de Ciências Sociais.

O reitor Nouga Cardoso ressaltou que esse primeiro momento permitiu que o governo reconhecesse toda a pauta de reivindicação. "O governo se compromete sugerindo a criação de uma comissão representativa de todos os segmentos para analisar as pautas da demanda e estabelecer ordem e critério de atendimento prioritário”, disse. E acrescentou: "Isso é importante e acredito que é por esse caminho que vamos sair da dificuldade que se encontramos hoje”, finalizou.

O próximo encontro será definida uma comissão que será formada por representantes do governo, da administração da Uespi, professores, estudantes e deputados, que se colocaram a disposição em debater a situação da universidade. O grupo buscará sistematizar as pautas para discutir detalhes específicos e apresentar resoluções. "A gente acredita que após a reunião de sexta, esperamos que eles retomem as aulas na próxima semana", destacou Ricardo Pontes. 


Caroline Oliveira com informações da Uespi
redacao@cidadeverde.com

Imprimir