Cidadeverde.com
Viver Bem

Fast food: pesquisas detalham os problemas para a saúde

Imprimir

O fast food é considerado por muitos como o vilão das dietas. Poucos nutrientes, muita gordura e uma dependência que incomoda. Para entender melhor sobre tudo isso, vamos esmiuçar um pouco a relação com esse tipo de alimento – não por acaso chamado nos Estados Unidos de junkie food.

Uma pesquisa publicada no Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics, periódico dos EUA, mostrou que o cenário das comidas rápidas piorou muito desde os anos 80. Em uma análise feita com dez restaurantes — quatro deles com filiais aqui no Brasil (Burger King, KFC, McDonald’s e Wendy’s) — descobriu-se que os pratos salgados aumentaram em cerca de 30 calorias por década até os anos atuais, enquanto os doces tiveram um crescimento de 62 a cada dez anos.

E não foi somente a quantidade de calorias que aumentou. O tamanho das porções ganhou cerca de 13 gramas para os salgados e 24 gramas para as sobremesas. Isso também a cada década. A porcentagem de sódio presente aumentou 4,6% a cada dez anos, e a variedade dos cardápios dos restaurantes mais do que dobrou de lá para cá.

Dependência

Dados como estes mostram o quão ruim pode ser a ingestão contumaz de alimentos deste tipo. Entretanto, na hora em que precisam ser deixados de lado, o desafio é grande. Um outro estudo, agora da Universidade de Michigan, também nos Estados Unidos, indica que eliminar do cardápio esses produtos pode causar às pessoas que os consomem em excesso sintomas semelhantes aos de abstinência de drogas.

Os participantes sentiram desconfortos como tristeza, cansaço e irritabilidade em excesso. De acordo com o estudo, a sensação de abstinência é mais relevante entre o segundo e quinto dia após a alteração na dieta e, com o passar da semana, diminui.

Efeitos

Além de uma refeição dessas ser extremamente calórica (um sanduíche, um refrigerante médio e algumas batatas fritas possuem em torno de 1500 Kcal), correspondendo à grande parte do que deveria ser ingerido num dia, pode causar problemas de saúde.

A grande quantidade de gordura presente pode elevar os níveis de colesterol, aumentando o risco de doenças coronárias. Além disso, o açúcar tem uma ligação direta com doenças cardíacas e diabetes.

Contrapartida

O segredo, portanto, é reinventar sua relação com o fast food. Leve o ato de comer para sua casa, sendo você o responsável pelo preparo. Faça isto não só para seu benefício, como também o de toda sua família. Agora, com a lista em mãos, saiba que você pode reinventar cada item, da forma mais saudável possível. Selecione as opções que você mais gosta.

Use sempre os melhores e mais frescos ingredientes para uma nutrição ideal. Prefira também óleos de fritura mais saudáveis, com menos gordura saturada, trans ou sólidas, por exemplo.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir