Cidadeverde.com
Geral

Comerciantes relatam queda nas vendas e Strans diz que críticas são prematuras

Imprimir

O diretor de Trânsito e Sistema Viário da Superintendência Municipal de Trânsito (Strans), José Falcão, pede paciência sobre as críticas negativas acerca das recentes mudanças na região do bairro Piçarra, zona Sul de Teresina. 

Vias da região, como as Avenidas São Raimundo e Odilon Araújo, tiveram o sentido alterado e as mudanças têm provocado insatisfação  em parte dos moradores dos bairros Piçarra, Cristo Rei e Conjunto João Emílio Falcão.  Foi marcada, inclusive, para a tarde desta terça-feira(30) uma manifestação contra as alterações. 

O diretor José Falcão disse que se posicionar contra é um direito da população, mas defende que as críticas “são muito prematuras”. 

Fotos:Izabella Pimentel

Novas alterações estão previstas para serem realizadas nos próximos dias. No sábado (03) um semáforo será instalado no cruzamento entre as Ruas Canadá e Higino Cunha. Finalizando a terceira fase das intervenções. 

As mudanças ainda terão uma quarta fase, que compreende a alteração de sentido da Rua Abdias Neves, onde os condutores poderão trafegar apenas Bairro - Centro. Na via também será permitida acesso a conversão à esquerda. O início da quarta etapa ainda não tem data definida porque aguarda obras de pavimentação asfáltica.

Falcão esclarece que as mudanças não são aleatórias e foram discutidas com a comunidade. O diretor diz ainda que a Strans está disponível para ouvir sugestões da população. “A gente está aberto para conversar, receber solicitações, mas a gente tem um limite de até onde pode atender  visto que há esse crescimento extremamente elevado da nossa frota na cidade. Teresina tem uma das maiores da taxas de motorização do Nordeste, que é a relação entre número de veículos e habitantes, a gente precisa ter atenção, ter sensibilidade nesse tema para que a gente não fique pior a cada ano”,disse. 

Comerciantes reclamam

O Cidadeverde.com esteve às 11h30 desta terça-feira na Avenida São Raimundo e registrou pouca movimentação na região. Comerciantes reclamam das mudanças no trânsito e afirmam que se não houver mudanças as lojas vão fechar. 

A proprietária da uma banca de revista diz que ontem teve que fechar o estabelecimento às 17h, devido à pouca movimentação na região. “Eu fechava 19h. Fechei mais cedo por medo de assalto porque não tinha ninguém. Foi péssima essa mudança. Não foi legal. Se continuar assim, vamos fechar”, disse Mila Costa.

Juliana Nascimento vende comida no Mercado da Piçarra. Ao meio-dia não havia ninguém no estabelecimento dela. “As vendas caíram muito e já estamos sentindo o prejuízo”,conta.

Graça Marques vende frango há 27 anos  no mercado e também afirma que  a mudança no trânsito provocou a diminuição de clientes. “As pessoas vão deixar de comprar no mercado porque agora tem que dar uma volta muito grande. É um prejuízo”, reclama. 
 
Os comerciantes reclaram da falta de local para estacionar. A Strans esclarece que a prefeitura não tem obrigação de fornecê-las e diz que a ampliação de ciclovias tem como objetivo impulsionar a utilização de bicicletas. 

Os comerciantes e moradores da região realizarão  manifestação contra as mudanças às 17h ,na frente do Posto Cristo Rei. 

 

 

 

Izabella Pimentel
[email protected]

 

Imprimir