Cidadeverde.com
Esporte

Luan fica fora de treino e deve desfalcar o Grêmio contra o Flamengo

Imprimir

FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Com dores no pé direito, Luan deve desfalcar o Grêmio, nesta quarta-feira, às 21h30, no Maracanã, diante do Flamengo, no jogo de volta da semifinal da Copa Libertadores. O atacante, que chegou mancando no hotel domingo à noite onde o elenco do time gaúcho está hospedado no Rio, não participou do treino da tarde de segunda-feira, no CT do Fluminense.

Outro que não deve ficar á disposição do técnico Renato Gaúcho é Jean Pyerre. O jogador teve uma lesão muscular na coxa direita há um mês e nesta segunda-feira ficou apenas à beira do gramado, observando o trabalho feito pelos companheiros. Em compensação, Maicon e Pedro Geromel, que também não participaram da atividade, foram apenas poupados e devem atuar na decisão do Maracanã.

A primeira parte do treino foi com os portões fechados à imprensa. Quando o acesso foi permitido, o grupo participava de um trabalho técnico em campo reduzido, limitado a três toques na bola por jogador. Renato dividiu os atletas em três times com oito jogadores que se enfrentavam alternadamente. Os outros oito que estavam de fora também auxiliavam podendo dar um toque quando a bola saia pelas laterais ou linhas de fundo.

O elenco gremista volta a treinar na tarde desta terça-feira, novamente no CT do Fluminense. Será o último trabalho antes do confronto diante do Flamengo. Uma provável escalação do time tem: Paulo Victor; Léo Moura, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Maicon, Matheus Henrique, Thaciano (Michel), Alisson e Everton; Diego Tardelli.

O segundo jogo entre Flamengo e Grêmio será disputado na quarta-feira, às 21h30. Um novo empate por 1 a 1 leva a decisão para os pênaltis. Uma igualdade sem gols dá a vaga para os cariocas, enquanto qualquer outro empate classifica os gaúchos. Quem avançar vai enfrentar o vencedor do duelo argentino entre Boca Juniors e River Plate, marcado para esta terça-feira. No primeiro confronto, o River ganhou por 2 a 0.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir