Cidadeverde.com
Cidades

Estudante de pedagogia é investigado como suspeito de planejar atentado em São Pedro

Imprimir

Foto: Ascom/São Pedro

A Delegacia Regional de Água Branca solicitou à justiça a prisão temporária de um estudante do curso de pedagogia que teria ameaçado, via rede social, fazer um atentado na escola Landri Sales, localizada em São Pedro do Piauí. 

Segundo as investigações da polícia, o jovem de 21 anos e um adolescente de 16 foram os responsáveis pelas postagens ameaçadoras na internet. Os dois mantiveram contato virtual após o menor de idade saber que, quando aluno da escola Landri Sales, o estudante de pedagogia  sofreu bullying, chegando até a ser agredido fisicamente no colégio.

O adolescente contou que tinha admiração pelo rapaz e teria feito as ameaças para se "solidarizar". "Uma das justificativas do adolescente seria se solidarizar com o rapaz que foi aluno da escola Landri Sales. Os dois afirmam que não tinham contato físico, apenas virtual. Há um mês criaram os perfis falsos com o e-mail do adolescente. O adolescente diz que criou os perfis, mas que as postagens eram feitas pelos dois", conta o delegado Paulo Nogueira, titular da Delegacia Regional de Água Branca. 

O delegado pediu a prisão temporária do estudante de pedagogia, mas o pedido foi negado pela justiça. O juiz da comarca de São Pedro do Piauí autorizou apenas o cumprimento de mandado de busca e apreensão na casa do rapaz. O celular do suspeito foi apreendido e será periciado. 

Em depoimento, o estudante de pedagogia, que não teve o nome revelado, admite que tinha ciência das ameaças, mas nega que o conteúdo tenha sido feito por ele.  "Ele disse que ficou sendo instigado pelo adolescente para fazer o massacre, mas teria afirmado ao menor de idade que "algo dessa magnitude", nas palavras dele, precisava ser muito bem planejado e  teria dito que não ia entrar nessa e bloqueou o adolescente das redes sociais", contou o delegado Paulo Nogueira ao Cidadeverde.com.

O adolescente foi autuado por ato infracional análogo à ameaça. A Polícia Civil vai sugerir acompanhamento psicológico  para o menor de idade, que teria muita admiração pelos adolescentes que promoveram uma chacina em uma escola da cidade de Suzano, em São Paulo. No dia 13 de março, o colégio foi palco de um massacre em que dois ex-alunos munidos de arma, besta (arma medieval) e machadinhas deixaram sete mortos, entre alunos e funcionárias, e outros oito feridos.

A Polícia Civil do Piauí aguarda a conclusão das perícias  que estão sendo realizadas nos celulares e computadores apreendidos. 

Por conta das ameaças, as aulas nas escolas do município de São Pedro do Piauí foram suspensas e só retornam na próxima segunda-feira (18). 


Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir