Cidadeverde.com
Geral

Caso Vanessa: Anuxa depõe pela 1ª vez para juiz e pede para não ver o réu do crime

Imprimir
  • anuxa21.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • au8.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • au7.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • au6.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • au5.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • au4.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • au3.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • au2.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • au1.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com
  • au.jpg Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Atualizada e ampliada às 11h35

Em depoimento prestado na Audiência de instrução e julgamento de Pablo Henrique Gomes, a ex-namorada Anuxa Kelly Leite, 34 anos, uma das vítimas do atropelamento que matou sua amiga Vanessa Carvalho, disse que teme por sua vida se o ele sair do sistema prisional. A audiência acontece nesta sexta-feira(22) no Fórum Criminal. 

Indagada pelos advogados da família de Vanessa Carvalho, Anuxa disse que depois do que aconteceu não duvida sofrer agressão novamente. "Eu temo, porque não sei o que se passa na cabeça dele", disse.

Anuxa disse, em juízo, que nunca foi agredida fisicamente por Pablo, mas que, frequentemente, ele lhe deixava sozinha nos lugares, após discutirem verbalmente. A jovem negou, ainda, que o então namorado tinha desafeto por Vanessa. 

"Se tinha, ele guardava para ele. Nunca me falou", afirma Anuxa, acrescentando que Vanessa e ela não conversavam sobre as brigas do casal.

Anuxa contou que Pablo bebia muito na festa de casamento, local onde estavam antes de acontecer o crime, chegando a tomar dois copos de uísque simultâneos e que ela pediu para o então namorado "maneirar" na bebida e deu a chave do carro dele para uma amiga chamada Layara Ferreira.

Segundo o depoimento de Anuxa, o desentendimento entre os dois começou quando ela e Vanessa levantaram da mesa para ver a noiva chegar no buffet.  "Qunado eu voltei, ele estava calado e eu mandei uma mensagem perguntando o que era e ele disse que estava de boa", disse.

Depois desentendimentos aconteceram na pista de dança da festa e o casal chegou a dançar com outras pessoas. Na festa, Layara Ferreira conta que viu Pablo xingar Anuxa de nomes pejorativos como "vadia e vagabunda".

Anuxa decidiu ir embora e saiu no carro de Pablo com a amiga Vanessa. "Pablo saiu correndo atrás do carro. Anuxa deu uma volta no quarteirão retornando para a frente do buffet e devolveu a chave do veículo para a amiga Layara entregar para Pablo".

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

Layara também prestou depoimento durante a audiência, como informante, e disse que entregou a chave do seu carro para Anuxa, que pediu para ir embora com ela. 

"Quando o Pablo apareceu, ele pediu a chave do carro dele. Ele estava muito transtornado. Me dá um desespero de lembrar do olhar dele, ele xingava muito. Fiquei bem assustada e entreguei a chave", disse Layara. 

A testemunha afirma que Pablo entrou no carro, acelerou e jogou o carro em cima de Vanessa e Anuxa, que estavam indo em direção ao veículo de Layara.

"As meninas voaram. Foi um choque muito grande. Eu desmaiei na hora", acrescenta Layara.

Layara afirmou que a Anuxa  e Vanessa estava quase na calçada da rua, onde foram atropeladas e que Pablo jogou o carro para cima delas.

Mais testemunhas seguem sendo ouvidas durante a audiência que servirá para a Justiça decidir se o acusado será julgado pelo Tribunal Popular do Júri por feminicídio e tentativa de feminicídio. 

Matéria original

Ao chegar à audiência de instrução e julgamento de Pablo Henrique Santos, a ex- namorada do empresário Anuxa Kelly Alencar, 34 anos, que sofreu tentativa de feminicídio, falou ao Cidadeverde.com que pediu à Justiça que seu depoimento ocorra sem a presença de Pablo.

Anuxa Kelly afirma que não se sente à vontade de falar diante do ex-namorado. Ela e a amiga Vanessa Carvalho saíam de uma festa de casamento quando foram atropeladas, sendo que a enfermeira não resistiu aos ferimentos.

Anuxa disse que a “ficha ainda não caiu “e que nunca imaginou que o ex-namorado fosse capaz de lhe atropelar. 

Ela relata que não lembra o que aconteceu no momento do atropelamento e só soube da morte da amiga Vanessa Carvalho dois dias depois. 

“Hoje eu estou aqui pela Vanessa. Ele [Pablo] tem que pagar pelo que ele fez e a justiça tem que ser feita”, disse Anuxa ao Cidadeverde.com.

A jovem conta que nunca sofreu agressões físicas do ex-namorado e negou que Pablo tivesse uma “rixa “ com Vanessa. 

“Ele nunca me agrediu fisicamente. A gente brigava, ele me xingava , mas nunca me bateu. As pessoas querem muito saber o que acontecia antes e esquecem de falar sobre o que aconteceu no dia. O que importa é o que aconteceu no dia. O que ele fez no dia. Ele tem que pagar pelo que ele fez no dia”, disse Anuxa.

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

A jovem diz que preferia ter sido agredida fisicamente anteriormente  “porque assim a morte de Vanessa não teria acontecido”. 

"Se ele tivesse me batido alguma vez seria melhor pois eu teria terminado com ele. Eu nunca aceitaria uma agressão”, afirma. 

Anuxa Kelly sofreu fraturas na bacia e atualmente está andando com auxílio de muletas. A jovem faz fisioterapia diária para conseguir recuperar os movimentos da perna.

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

 

Flash Izabella Pimentel
[email protected]

Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais