Cidadeverde.com
Geral

Vendedor que ficou paraplégico ao ser baleado morre horas após receber alta

Imprimir

Foto: Reprodução/RedesSociais

Morreu nessa quinta-feira (23) o vendedor  Maycon Teixeira Magalhães, 46 anos. Ele foi baleado na coluna ao reagir a um assalto no bairro Piçarra, zona Sul de Teresina, na madrugada do dia 16 de janeiro. 

Maycon ficou internado por sete dias no Hospital de Urgência de Teresina, chegou a ser submetido a uma cirurgia, sofreu derrame pleural , fez  drenagem, toracostomia e recebeu alta no início da tarde de ontem. Horas após chegar na casa dos pais, na cidade Água Branca, ele sofreu uma parada cardíaca e morreu. O HUT garante que o paciente  estava consciente e orientado, ou seja, "com todas as condições clínicas estáveis" quando saiu do hospital.

Em uma transmissão ao Vivo no Facebook feita enquanto era transportado em uma ambulância para Água Branca, Maycon afirmou que estava "sentindo muita dor" [Veja abaixo]. O primo de Maycon, Kennedy Sartunino, disse ao Cidadeverde.com que não sabe se as dores eram no coração ou na coluna de Maycon, que ficou paraplégico após ser baleado.

"Ele sofreu a parada cardíaca e morreu por volta das 18h na casa do pai dele. Ainda não sabemos o que aconteceu", conta Kennedy. Familiares e amigos de Maycon estão abalados e surpresos com sua morte, que tem repercutido nas rede socias.

 "Meu primo, sem acreditar. Que Deus lhe receba de braços abertos é que nós dê o consolo nesse momento de tamanha dor ", escreveu uma familiar.

O velório acontece na cidade de Água Branca.

NOTA DE ESCLARECIMENTO HUT

A direção do HUT informa que o paciente Maycon Teixeira Magalhães, 46 anos, deu entrada nesse nosocômio no dia 16 de janeiro, às 2h33, vítima de múltiplas perfurações por arma de fogo. Maycon foi imediatamente atendido pela equipe do plantão e encaminhado com urgência para o centro cirúrgico. Foi realizada uma toracostomia com drenagem pleural. Maycon teve ainda um traumatismo raquimedular gravíssimo que o deixou paraplégico. Durante sua internação o paciente foi acompanhado por profissionais de diversas especialidades como neurocirurgião, cirurgião torácico, cirurgião vascular, fisioterapeuta, psicólogos e a equipe de enfermagem. No momento da alta hospitalar Maycon estava consciente e orientado, ou seja, com todas as condições clínicas estáveis.

 


Izabella Pimentel
[email protected] 

Imprimir