Cidadeverde.com
Geral

Motociclistas se arriscam em contramão para escapar de alagamento na Av. Joaquim Nelson

Imprimir

 

Atualizada às 11h55

O problema é antigo, mas o medo de trafegar no trecho da Avenida Joaquim Nelson, que quase sempre alaga durante chuvas, não passa. 

Na manhã desta segunda-feira(27), em menos de cinco minutos, o Cidadeverde.com flagrou três motociclistas tendo que trafegar na contramão para fugir da “lagoa” formada pela falta de escoamento na Avenida. 

Tanto faz está no carro, moto, bicicleta ou a pé, trafegar no trecho alagado coloca em risco a maioria das pessoas que passam pelo local. 

O idoso Mário Abreu ficou pensativo diante da água acumulada e desistiu de “enfrentar” o trecho.  “Ano passado tive um prejuízo de R$ 30 mil no meu carro. Melhor não ir”, disse o condutor, que voltou na contramão. 

O motociclista Washington Nascimento também foi receoso e achou melhor não passar pelo alagamento. “É medo de cair em um buraco ou me molhar”, justificou. 

Enquanto a reportagem esteve no local vários condutores reclamaram da situação e afirmavam que toda vez que chove o problema ocorre. Entre a noite desse domingo e madrugada desta segunda-feira choveu um volume expressivo de chuvas em Teresina. Segundo o Centro Nacional de Monitoramento e Alerta a Desastres Naturais (Cemaden), nas últimas 24 horas houve um acumulado de 66 milímetros na estação pluviométrica do bairro Renascença. 

Mais de doze horas após o fim da chuva, o trecho na Avenida Joaquim Nelson continua alagado. “A gente sempre passa por essa situação. Tem tempo que nem dá para passar. Se resolvessem ficava muito bom”, disse o ciclista Milton Francisco. 

Fotos: Izabella Pimentel/Cidadeverde.com

O superintendente executivo da Superintendência de Desenvolvimento Urbano (SDU-Sudeste), Isaac Meneses, admite que o problema é de difícil, mas que há projeto de drenagem para tentar diminuir o acúmulo de água na Avenida Joaquim Nelson. 

No entanto ainda não há uma data exata para a execução da obra. "Não é um problema de simples solução, não é um problema que a gente consiga resolver com medidas paliativas. Aquele ponto de cruzamento de água faz parte de um curso d'água da maior sub bacia de Teresina, que vem água desde sua nascente lá próximo à Major César. Ela vem passando pelas BRs em alguns pontos, cruza a Avenida Mirtes Melão, cruza a Joaquim Nelson, cruza a BR 343 e volta da zona Leste para a sudeste já próximo à ponte Wall Ferraz. Ou seja é uma bacia muito grande, com muito acúmulo de água", explica.

Para  se resolver o problema em definitivo, segundo Isaac Meneses, é preciso executar diversos sistemas de drenagem no local. O projeto quer aumentar o nível da via.

" Esse projeto de drenagem já está desenvolvido e hoje estamos na fase de fazer adaptação porque a medida que eu levanto o nível da via, algumas construções já existente ficarão com nível abaixo. Então como ficará acesso, captação de água? Então nesse sentido o projeto está sendo adaptado. O prefeito já autorizou a execução desse sistema com recursos próprios assim que definidas essas soluções paralelas ao sistema", afirma. 

 

 

Izabella Pimentel
[email protected]

Imprimir