Cidadeverde.com
Cidades

Boa Esperança chega a 91% e vazão de reservatório aumenta para mil metros cúbicos

Imprimir

Fotos: Moisés Costa

As fortes chuvas registradas nos últimos dias nas regiões Sul e Sudeste do Piauí fizeram o volume da barragem de Boa Esperança chegar a 91,43% do seu volume útil. A defluência do reservatório aumentou de 732 m³ por segundo na quinta-feira, dia 16 de abril, para 1006 m³ por segundo nessa sexta-feira (17) o que resultou no aumento do volume do rio Parnaíba em cidades como Amarante e Floriano.

Segundo o boletim da CPRM divulgado neste sábado (18) o Rio Parnaíba em Floriano estava em 5,66 metros no início da manhã, com previsão de elevação do nível nas próximas 8 horas para valores próximo de 5,86 metros, portanto continuando em situação de atenção. 

Nas cidades de Teresina e Timon o nível atual do rio Parnaíba é de 4,12 m, e nas próximas oito horas tem tendência de elevação do nível que deve oscilar em torno da cota 4,52 m, estando ainda em situação de normalidade, segundo os órgãos de monitoramento.

Já o rio Poti em Teresina continua em situação normal.  A cota atual é de 3,78 m e a tendência é que o rio mantenha o seu nível nas próximas 10 horas, para valores em torno de 3,77 m.

Fotos: Moisés Costa

Alagamentos em Barras

O rio Marathaoan em Barras continua a apresentar níveis acima da cota de alerta. Na estação localizada em Barras foi registrada a cota de 3,91 metros às 06h45 de hoje (18) e com previsão de elevação do nível para 4,01 m nas próximas oito horas, portanto 19 cm abaixo da cota de inundação.

Esperantina

Em relação ao rio Longá em Esperantina a cota atual é de 6,09 metros, e encontra-se em níveis acima da cota de atenção. O rio apresenta tendência de elevação do nível nas próximas horas, a cota esperada às 14h45 de hoje (18) é 6,49 m, portanto entrando em situação de alerta.

Luzilândia

Quanto à Luzilândia, o rio Parnaíba apresenta-se em situação de atenção. A cota atual do rio é de 4,12 metros, e nas próximas 12 horas tem tendência de chegar a valores próximos a 4,45 metros.

Valmir Macêdo
[email protected]

Imprimir