Cidadeverde.com
Cidades

Pai e filho se passavam por dedetizadores para furtar residências

Imprimir

Atualizada às 11h45 

A Polícia Civil prendeu na manhã desta quinta-feira (06) em Demerval Lobão dois homens, pai e filho,  condenados pela prática de furto a residências. A prisões foram realizadas pela Divisão de Capturas, com apoio da Coordenação de Recursos Especiais – CORE e fazem parte da operação Fênix, deflagrada hoje no Piauí. 

De acordo com a Polícia Civil, eles ofereciam o serviço de dedetização para moradores da região, na maioria das vezes idosos, e aproveitavam a distração das vítimas para subtrair objetos. A dupla responde por dezenas de furtos realizados com a mesma forma de abordagem. 

"Eles chegavam na casa de idosos, que eram mais vulneráveis, dizendo que faziam o serviço de dedetização, cobravam o serviço e começavam a dedetizar. Um deles ficava conversando com a vítima, enquanto o outro ia subtraindo jóias, objetos, dinheiro", explicou o delegado Júlio Castro, titular da delegacia de Demerval Lobão. 

Divulgação/Polícia Civil

Os homens, identificados como Antônio dos Santos (pai) e Willames Rodrigues dos Santos (filho),  foram presos em 2019, pela mesma prática criminosa. Eles tiveram mandados de prisão expedidos pela Justiça, que foram cumpridos hoje durante a operação Fênix. Os dois vão ser encaminhados para o sistema prisional. 

Ainda acordo com a Polícia Civil, nos últimos meses a dupla teria recuado da prática criminosa de realizar furtos, mas o filho, Willames Rodrigues dos Santos, também é suspeito da prática de assaltos na região de Demerval Lobão.

A Polícia Civil, através da Divisão de Capturas (Dicap), iniciou nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira(06) a Operação Fênix, que cumpre mandados de prisão contra acusados de crimes como roubo, homicídios  e tráfico de drogas. 

Pelo menos 60 policiais, entre Civis e judiciais, participam da operação, que também conta com o apoio de 15 viaturas. 

 Ao todo, devem ser cumpridos 25 mandados de prisão durante essa quinta-feira. Até o momento, cerca de 19 já haviam sido concretizados.

De acordo  com o coordenador da Dicap, delegado Willame Moares, a maioria dos mandados diz respeito à pessoas que já foram condenadas pela judiciário. 

"São 25 mandados. Desses 25, apenas três são mandados de prisão preventiva. Todos os demais são execuções de pena, são sentenças condenatórias. A pessoa já foi investigada pela polícia, passou pelo poder judiciário, teve direito a ampla defesa, mas mesmo assim foram condenados", explicou o delegado.

Ainda de acordo com a Dicap, a maioria dos alvos da operação de hoje já é reicidente na prática criminosa. "A grande maioria desses que hoje estão sendo presos já respondem a vários processos. Quase todos eles respondem a dois ou mais processos", ressaltou o delegado Willame Moraes.

Os presos estão sendo encaminhados para o Instituto de Medicina Legal (IML), para a realização de exame de corpo de delito. Na sequência, todos vão ser levados para a Central de Flagrantes, para a realização dos procedimentos legais.

O nome Fênix vem da mitologia Grega e tem a simbologia de renovação, recomeço, de esperança de dias melhores.

 

Natanael Souza
[email protected] 

Imprimir