Cidadeverde.com
Cidades

UBS é fechada em Floriano após profissionais testarem positivo para a Covid-19

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com 

A Unidade Básica de Saúde Funasa, em Floriano, vai permanecer fechada pelos próximos 15 dias após todos os profissionais que atuam local testarem positivo para o novo coronavírus. A decisão foi tomada pela secretaria municipal de saúde do município, distante 250 Km  de Teresina. 

Dos 14 profissionais que atuam no local, 9 testaram positivo para a Covid-19. 

Durante a suspensão de atividades, o atendimento a pacientes da atenção básica  vai ser transferido para outras UBS da região. 

Essa é a segunda vez durante a pandemia da Covid-19 que uma Unidade Básica de Saúde é fechada em Floriano. O primeiro episódio aconteceu em abril, quando Unidade Básica de Saúde (UBS) Camilo Filho, que funciona no campus da UFPI do município, foi fechada após uma funcionária testar positivo

De acordo com o Sindicato dos Enfermeiros  e Técnicos de Enfermagem do Piauí,  situação na UBS Funasa é atribuída a baixa qualidade dos Equipamentos de Proteção Individual oferecidos aos profissionais. O presidente da entidade, Erick Riccely, também aponta a falta de realização de testes periódicos como um dos fatores que contribuiu para que todos os profissionais fossem infectados. 

"O que mais estava dificultando para os profissionais é a realização dos testes entre os profissionais. Depois de muita cobrança, eles fizeram nesta 
Unidade, onde todos estavam infectados. Por conta disso, a UBS precisou ser fechada até que todos os profissionais tenham condições de retornar", explica. 

O sindicato dos Enfermeiros também denuncia que os profissionais de saúde que atuam na atenção básica de Floriano   não recebem o adicional de insalubridade de 40%. Para o presidente, o fechamento da UBS Funasa comprova o direito ao benefício, pelos riscos enfrentados durante a pandemia. 

"A UBS tem uma particularidade, você não sabe quem está entrando. Todo mundo pode ser um caso suspeito. Você não sabe quem pode contaminar", destaca. 

O secretario de Saúde de Floriano, James Rodrigues, rebateu os questionamentos do Sindicato dos Enfermeiros sobre a qualidade dos EPIs. De acordo com ele, o material oferecido aos profissionais da atenção básica é o mesmo que é utilizado pelos que atuam na linha de frente de combate à pandemia da Covid-19. 

"Os EPIs comprados pelo município todos têm registro na Anvisa. Os mesmos EPIs utilizados pelos profissionais da UBS Funasa são os mesmos utilizados pelos profissionais do Centro de Referência Covid, que são os profissionais de Floriano que estão na linha de frente", explica o secretário. 

Sobre a insalubridade, o secretário de saúde explica que os profissionais da atenção básica recebem 20% enquanto os que atuam na linha de frente de combate à Covid-19 recebem 40%. Segundo ele, a diferença no percentual diz respeito ao diferentes níveis de risco e exposição nas duas atividades. 

"Em Floriano, só recebe insalubridade de 40% os profissionais do centro de referência e os profissionais do Samu, porque eles têm contato direto com pacientes com sindromes gripal.

Lockdown 

A prefeitura de Floriano decretou Lockdown nos próximos finais de semana após o aumento do número de casos confirmados da Covid-19 e do crescimento das internações no Hospital Regional Tibério Nunes. Até o momento, já são 682 casos confirmados. 

 


Natanael Souza
[email protected] 

Imprimir