Cidadeverde.com
Geral

Torquato Neto: apartamentos são utilizados para o tráfico de drogas, diz delegado

Imprimir

 

Apartamentos do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ localizados no Residencial Torquato Neto, zona sul de Teresina, estão sendo utilizados como pontos de venda de drogas e esconderijo de produtos roubados. A constatação é da Ação Integrada Torquato Neto, deflagrada nesta quarta-feira (02) e que resultou no cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão, 13 deles em apartamentos do residencial. Duas prisões de indivíduos que possuíam mandados em aberto, por latrocínio e homicídio,  também foram realizadas. 

O coordenador da Delegacia Especializada em Prevenção e Depressão a Entorpecentes (Depre), Luciano Alcântara, diz que a prática, que já era denunciada por moradores da região, foi intensificada durante a pandemia da Covid-19.  

“Nós temos informações de que algumas pessoas que adquiriram esses apartamentos, por inúmeros motivos, saíram deles. Criminosos na região, vendo que aqueles apartamentos estavam vazios, invadiam. Também temos relatos de pessoas que foram expulsas do apartamento por criminosos da região. Eles usavam os apartamentos, basicamente, para duas coisas: guardar produtos roubados e também para transformá-los em verdadeiros pontos de drogas”, explicou. 

Ainda de acordo com o delegado, moradores eram ameaçados diariamente e coagidos a não realizarem denúncias sobre a situação. “Nós temos informações de que esses criminosos, como acreditavam que não iam ser presos e estavam seguros, eles andavam abertamente armados e ameaçando vizinhos para que não fosse dito nada.  Por exemplo, um criminoso invadia um apartamento, o vizinho até conhecia o proprietário, mas ficava receoso de dizer alguma coisa”, detalhou o coordenador da Depre. 

A Polícia Civil ainda não sabe precisar a quantidade de apartamentos invadidos que estão sendo utilizados para o tráfico de drogas e como esconderijo de produtos roubados. O trabalho de investigação deve continuar sendo realizado nas próximas semanas, bem como o reforço no policiamento ostensivo na região. 

Participam da ação  desta quarta-feira (02), 55 policiais civis, entre agentes, escrivães e delegados e 85 policiais militares.

 

Natanael Souza
[email protected] 

 

Imprimir