Cidadeverde.com
Esporte

Cruzeiro desafia abatimento e chance pequena de acesso ao receber o Cuiabá

Imprimir

No momento mais decisivo do Campeonato Brasileiro da Série B para o Cruzeiro, o time celeste patinou, desperdiçou pontos valiosos contra rivais diretos e agora possui chances ínfimas de acesso à elite do futebol nacional no ano que vem.

Em seus três últimos jogos, o Cruzeiro empatou com CSA e Avaí, e perdeu para a Ponte Preta, todos esses adversários que também estão na luta por uma vaga na Primeira Divisão. O efeito desses tropeços já é demonstrado pela matemática.

Segundo o site Probabilidades do Futebol, mantido por estatísticos da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), o Cruzeiro tem apenas 1,4% de possibilidade de acesso. Número quase oito vezes menor do que antes da partida contra o CSA, quando a própria UFMG apontava 10,8% de chances.

Mesmo com esse "fio de esperança" pela matemática, nem mesmo os jogadores do Cruzeiro acreditam em ida à elite. Caso do zagueiro Ramon, que logo após a derrota para a Ponte Preta na 31ª rodada da Série B, por 2 a 1, praticamente "jogou a toalha".

"É uma sequência complicada, que valia muito para o nosso objetivo final. O que tenho para falar é pedir desculpas ao torcedor, que não merece isso. Clube gigante, camisa que não merece passar o que a gente passou em 2020. Levantar a cabeça. Ano totalmente atípico para o Cruzeiro."

"Tem mais um jogo ainda nesse ano, é jogar de cabeça erguida, para não passar por isso no próximo ano. É complicado pensar em acesso", emendou.

O próximo compromisso do Cruzeiro é contra o Cuiabá, às 21h30 desta terça-feira (29), no Independência. O rival mato-grossense é o terceiro colocado, com 50 pontos, e, como luta pelo acesso, dará trabalho para o Cruzeiro, que está na 11º colocação, com 40 pontos.

Até o técnico Felipão mudou o discurso, falou em desânimo após o revés em Campinas e citou um trabalho para "pensar o clube" para 2021: "Estamos trabalhando todos os dias para ter detalhes de uma equipe futura, melhor dos que estamos hoje".

"É desanimador para todo mundo, para torcedor, para os jogadores e para o técnico, principalmente. Temos que fazer uma reflexão para saber o que vamos fazer com o Cruzeiro no ano que vem. E o que é que pode ser feito em razão de tudo isso que aconteceu neste ano", analisou.

A sequência de jogos do Cruzeiro após a partida com o Cuiabá é a seguinte: Sampaio Corrêa (fora), Oeste (casa), Juventude (fora), que hoje abre o G4 da Série B, com 49 pontos, Operário (casa), Náutico (casa), Paraná (fora).

GUILHERME PIU
BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS)

Imprimir