Cidadeverde.com
Destaques da TV/Rádio

Com dez assaltos em 2 semanas, carteiros decidem parar por 48h

Imprimir

Atualizada às 10h33

Os carteiros decidiram pela paralisação das atividades por 48 horas a partir de quinta-feira(11). A decisão ocorreu em assembleia e deve atingir o setor de entregas de encomendas que está sofrendo com constantes assaltos. 

O presidente do sindicato dos trabalhadores dos Correios, Edilson Santos, disse que tanto o sindicato como os trabalhadores já procuraram a direção da empresa que continua inerte à violência sofrida pelos carteiros. Ele afirma que os trabalhadores querem uma solução já que os Correios têm um departamento ligado à Polícia Federal. 

"Nós procuramos a superintendência, os próprios trabalhadores procuraram no sentido de inibir através de um setor de segurança da empresa e em nenhum momento fomos recebido. Muito pelo contrário, a Superintendência Estadual do Piauí dificulta o nosso acesso. E em alguns casos, como nos assaltos, eles solicitam que a gente provoque, através de uma carta ofício para Brasília como se Brasília soubesse dos nossos problemas aqui na capital e interior do Piauí. Sabemos que a questão da segurança é do Estado, mas a empresa tem que dar a segurança ao trabalhador, ao carteiro, tendo em vista que tem um setor específico da segurança que é ligada à Polícia Federal. Então o trabalhador tem uma farda que entrega essas encomendas, tem que ter a segurança dele, das encomendas", argumenta Edilson Santos, que disse que a greve pode se estender dependendo da conjuntura.

Matéria original

Carteiros podem paralisar as entregas no Piauí a partir desta terça-feira (09) devido aos constantes assaltos. Durante a manhã, a categoria se reúne em assembleia no complexo operacional, na Avenida Professor Valter Alencar, bairro Monte Castelo, na zona Sul de Teresina. Caso a categoria decida pela paralisação, a distribuição de cartas e encomendas ficará prejudicada.

"Fizemos o encaminhamento, conforme a lei de greve, informando à empresa a situação dos trabalhadores dos Correios, principalmente, do setor de distribuição. Nós vamos fazer uma assembleia agora pela manhã e o encaminhamento do sindicato é a paralisação desse setor dos trabalhadores dos Correios", explica Edilson Sousa Nete, presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Piauí (Sintect-PI).

De acordo com a categoria, dez assaltos foram registrados nas duas últimas semanas.

"Os assaltos são constantes, chegando ao absurdo dos bandidos ficarem nos arredores do Centro de Distribuição de Encomendas escolhendo qual carteiro ou carro vão assaltar. Quando tem um assalto, é feito o BO, a Polícia Federal faz a intervenção, mas o trabalhador fica no prejuízo psicológico e material porque, geralmente, têm os celulares roubados e outros pertences pessoais. A partir do momento que estamos fardados, a responsabilidade é da empresa e a empresa tem o setor de segurança", reitera. 

O Piauí tem 600 carteiros. Parte atua no setor de encomenda, responsável pela entrega de bens de valores, e, de acordo com o Sintect, o mais prejudicado com os constantes assaltos. 


Graciane Sousa 
Com informações de 
Nájila Fernandes (TV Cidade Verde)
[email protected]

Imprimir