Cidadeverde.com
Geral

Dentista no Piauí faz cordel após ser vacinado contra a Covid-19

Imprimir

O dentista piauiense Rômulo Maia comemorou com poesia ao ser vacinado contra a Covid-19. Natural de Pio IX, no interior do Piauí, ele fez um cordel cheio de piauensidade, alegria e esperança contidos em "0,5 ML de vacina".  

"Acho que a poesia nasce sempre de um algum lugar e o lugar dessa veio da emoção em sentir cada pessoa sendo imunizada. Sempre que via algum idoso, uma pessoa da família sendo imunizada, dava aquela sensação de alívio, de um peso que diminui e deixa de sufocar cada vez mais. Quando tomei minha vacina, essa sensação veio diferente porque eu senti que era uma felicidade que não tinha direito de sentir completa porque ainda é de poucos. Senti alegria, mas ao mesmo tempo, tristeza", disse Maia ao Cidadeverde.com. 

Ao longo do cordel, Rômulo brinca com versos e diz que "ninguém vira jacaré" e que cabe "dança e presepada em meio ML de vacina". Por outro lado, o poema também traz melancolia. Ele conta que, justamente, os sentimentos contraditórios de alegria e tristeza, o inspiraram a escrever o poema. 

"Quando a gente escreve, tenta organizar os pensamentos que levam aos sentimentos ou os sentimentos que levam aos pensamentos? foi uma tentativa de compreender as minhas sensações. É uma tentativa de traduzir do que eu senti com a vacina e o que sinto ao ver as pessoas sendo vacinadas. É a alegria e ao mesmo tempo a tristeza e uma sensação de desamparo de ver uma média de mais de 2 mil pessoas morrerem ao dia por uma doença que tem vacina. São sensações antagônicas que eu vivenciei quando fui vacinado", disse. 

Ao Cidadeverde.com, o dentista conta que fez o poema em um dia e revela a inspiração a mais que teve para escrever a última estrofe que, como bom piauiense, diz que estava "enganchada" (travada).

"Fiz em um dia. A ideia vem, penso, sento e trabalho sobre ela. A última estrofe não queria sair. Tava enganchada. Aí recebi a foto de uma tia muito querida sendo vacinada em Teresina. Eu chorei vendo a foto e na hora veio a ideia pra fechar o cordel", disse. O resultado foi o seguinte: 

Cada vacina aplicada
Vem provida de amor
Sentimento imunizante
Curativo pro terror 
A lágrima rolada
Pela dose injetada 
É porque nos contamina
Contágio de confiança
Tem o vírus da esperança
Em meio ml de vacina

Rômulo Maia recebeu a segunda dose da vacina nesta segunda-feira (05). Atualmente, ele trabalha em um consultório próprio em Pio IX e na rede pública da cidade de Monsenhor Hipólito, onde foi vacinado.

 

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir