Cidadeverde.com
Política

Em sabatina, Adolfo Nunes nega ressentimento após deixar Secretaria de Governo

Imprimir

Fotos: Roberta Aline

Atualizada às 11h53

A Câmara de Teresina aprovou o nome de Adolfo Nunes em sabatina. Ele assume agora a direção da Arsete por um mandato de três anos. Durante a sabatina, os vereadores fizeram cobranças com relação ao abastecimento de água na zona rural. Segundo eles, a situação é crítica em alguns pontos da cidade.

Adolfo afirma que a Arsete vai intensificar a fiscalização nessas áreas. Adolfo afirma que a Arsete acompanha o plano de expansão  do saneamento básico na capital elaborado pela empresa Águas de Teresina. Segundo ele, a cobertura deve chegar a 80% no ano de 2028. 

"Em 2028, teremos 80% de atuação da área atendida por saneamento básico.  Em 2024 estaremos com 63%. Essa notícia é muito boa. Faz parte do plano de expansão do Águas de Teresina", disse.

Atualziada às 9 horas

Adolfo Nunes foi exonerado da pasta de Governo após desagradar  membros do governo e vereadores da capital. Amigo de longa data do prefeito, ele foi remanejamento para a Arsete. 

Ele falou das prioridades à frente da Arsete.

"Não esperava em 70 anos voltar a fazer prova oral. É um órgão novo. É uma situação  nova no país.  A prioridade será a equidistância. É um preceito das agências reguladoras.  Ela fica entre o poder concedente, a concessionária  e o usuário", disse.

Na Câmara,  Adolfo negou qualquer tipo de ressentimento com relação ao prefeito. Ele disse entender que pode prestar um melhor serviço na Arsete do que na Secretaria.

"É normal a saída.  Foi uma opção do prefeito. Ele acha que vou colaborar na Arsete. Sem ressentimentos. Às vezes mudamos porque um jogador não atua bem em uma posição  e se prefere colocar em outra. A Secretaria de Governo fez duas reformas administrativas orientadas pelo prefeito. Fizemos incontáveis solicitações e indicativos da Câmara ", destacou.

 

Flash Lídia Brito
[email protected]

Imprimir