Cidadeverde.com
Política

Vereador denuncia irregularidades em cheques analisados pela CPI

Imprimir

Foto: Roberta Aine

O presidente da CPI do Transportes, vereador Dudu Borges (PT), denuncia que a comissão teria apurado irregularidades na emissão de cheques do Setut para as empresas de transporte público. Segundo ele, um cheque com mesma numeração e mesmo banco teria sido emitido para mais de uma empresa.

"Estamos fazendo um estudo em relação a movimentação bancária por meio do Futran, que é o Fundo de Transportes do Município, que passa para o SITT, Sistema Integrado de Transportes de Teresina, que passa para o Setut. Estamos pegando todo o caminho do dinheiro público.  Temos observado movimentações que nos deixam preocupados e recesso. Percebemos que em uma movimentação normal de fluxo de pagamentos existem cheques do mesmo banco, com mesmo número onde ele permeia duas, três ou quatro movimentações. Um cheque que é pago no dia 26 do 11 para Transcol e o mesmo do dia 15 de junho para Viação Piauiense. Entra em outra movimentação de outra empresa. É como se o mesmo cheque fizesse três lançamentos de débito. Nunca tinha visto. É como se o mesmo cheque fosse debitado na mesma conta três vezes", destacou.

Dudu afirma que os dados são graves e precisam de apuração. 

"Essas informações já nos remetem que temos que aprofundar muito essa questão bancária. Vamos ter que ir muito a fundo para ter a luz de como se deu esses pagamentos. Se tem um cheque lançado três vezes, não quero acreditar que esse tanto de erro em documentações oficiais que vieram para CPI. Vamos pegar esses cheques e fazer as cópias administrativas para saber se foi erro, se não foi, o que acontece. O fato é que há lançamento de débito do mesmo cheque três vezes", disse.

O vereador afirma que a CPI quer entender se se trata de uma fraude ou de um erro. Mas diz ser estranho o mesmo erro ter sido cometido três ou mais vezes.

"Esses erros de lançamentos, vamos chamar assim, é do repasse que é feito do SITT para o Setut. Por isso que já temos um juízo do ponto de vista jurídico, mas estou oficiando a prefeitura para avaliar isso por meio da Procuradoria Geral do Município", destaca.

O presidente afirma que a CPI não vai pedir prorrogação dos trabalhos. Os vereadores que participam do grupo não terão recesso.

"Levantamos ano a ano. Estamos concluindo 2018 e 2019 um trabalho que divido com minha equipe. Quero acreditar que até o final da semana podemos terminar 2019, que é onde tem muitos recursos de acordos judiciais e extra judiciais. Mas o que vejo é que vamos precisar de outros instrumentos para trazer a luz por outros instrumentos como a quebra do sigilo bancário", comentou.

O Sindicato da Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) informou  ainda não foi notificado a respeito das resoluções da CPI, "mas assim que ocorrer irá esclarecer qualquer dúvida referente ao sistema de transporte público".

Flash de Lídia Brito
[email protected]

Imprimir