Cidadeverde.com
Política

Não podemos enriquecer a Petrobras a custa da miséria do povo, diz Marcelo Castro

Imprimir

O senador Marcelo Castro (MDB) defendeu nesta quarta-feira (20) a mudança na política de preços dos combustíveis praticada pela Petrobras. Segundo ele, o lucro da empresa foi de R$ 42 bilhões no primeiro trimestre de 2021. Enquanto isso, o litro da gasolina já é vendido a R$ 7. Para o parlamentar, a população não pode ser usada para enriquecer a estatal.

“Não podemos enriquecer a Petrobras a custa da miséria do povo brasileiro. Se nós queremos controlar o preço dos combustíveis em nível de Brasil, o caminho mais certo e eficiente é fazer uma política de controle de preço da Petrobras”, disse o senador durante entrevista à TV Cidade Verde.

Castro admite que a sistemática vem sendo feita desde o governo Michel Temer e que precisa ser revista.

“O Brasil é autossuficiente em petróleo. Nós produzimos o nosso petróleo em real e a Petrobras se guia pelo preço do petróleo em dólar internacional. O que é que o Brasil tem a ver com o petróleo que é produzido na Arábia Saudita, Venezuela ou Rússia? Simplesmente nada. Por que o nosso preço tem que ser atrelado ao internacional? Só para fortalecer a Petrobras e para dar dinheiro para os seus acionistas. A Petrobras no segundo trimestre desse ano teve um lucro de 42 bilhões de reais”, afirmou.

O senador comentou a proposta dos governadores que será levada ao Senado de um Fundo de Equalização de Combustíveis. Para ele, tudo que for feito para baratear é válido, no entanto, insiste nas mudanças dentro da Petrobras.

“Tudo que for feito para diminuir o preço dos combustíveis é válido, mas o que precisa mesmo é a Petrobras mudar a sua política”, disse.

De acordo com o governador Wellington Dias, o fundo poderia reduzir o preço da gasolina para R$ 4,50.

Vale Gás

O Plenário do Senado aprovou hoje (19) a criação do benefício Gás dos Brasileiros, que prevê um auxílio para a compra de botijões de gás de cozinha por famílias de baixa renda. Pelo texto, o Governo Federal poderá financiar até 100% do preço médio do botijão a cada dois meses. Recentemente, o preço médio do gás de cozinha ultrapassou R$ 100. No Piauí, o botijão de gás já é vendido por mais de R$ 110 em vários locais.

 

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir