Cidadeverde.com
Geral

Porteiro leva soco ao cobrar máscara contra Covid-19 de visitante em condomínio

Imprimir

Foto: Roberta Aline / Cidadeverde.com

Uma discussão terminou em agressão por causa da obrigatoriedade do uso de máscara contra a Covid-19 em Recife. Cobrado pelo porteiro de um condomínio da zona oeste da cidade, o visitante se recusou a vestir o item de proteção e acabou partindo para cima do trabalhador.

Parte da briga foi registrada por um casal de moradores do prédio, e a cena se difundiu na redes sociais. O porteiro registrou queixa na Delegacia Digital, e o sindicato da classe informou que busca identificar o agressor para acioná-lo na Justiça.

O caso ocorreu na última sexta-feira (12), no bairro do Cordeiro, mas somente na terça (16) as imagens começaram a circular na internet. No vídeo que mostra a briga, é possível ver o visitante desferindo socos e um chute contra o porteiro, que tenta se defender. Uma voz feminina explica que o homem havia se recusado a colocar a máscara, que é uma exigência do condomínio.

O porteiro, de 39 anos, conversou com a reportagem, mas pediu para manter a identidade em sigilo. Ele confessa que ainda teme que o agressor volte a procurá-lo, porque, ressalta ele, após a briga o homem manteve ameaças.

"Eu ouvi quando ele disse ao meu supervisor que aquilo não iria ficar assim e que iria me pegar depois. Eu fico revoltado com uma coisa dessa. Eu estava trabalhando e cumprindo com as regras do condomínio", disse o porteiro.

O agressor chegou ao condomínio por volta das 21h40 e pediu para ser anunciado para um dos apartamentos do residencial. Na entrada, se identificou apenas como Tiago. Antes de entrar no prédio, no entanto, ouviu da vítima que teria que colocar a máscara.

"Mas ele se recusou a botar. Disse que estava de capacete e que não precisaria. Aí, eu disse que teria que colocar a máscara se quisesse entrar porque é regra no condomínio. Mas ele insistiu que não botaria e se exaltou, iniciando uma discussão", disse o funcionário agredido.

O homem chegou a dizer que é policial, o que ainda não foi comprovado, e, em seguida, passou a agredir o porteiro com o capacete, segundo contou a vítima. Essa parte da confusão não foi gravada.

O porteiro trabalha no local há 18 anos. Ele explicou que outras pessoas, principalmente entregadores de restaurantes, também se recusam a usar máscaras. "Mas nunca chegou a esse ponto", disse ele.

O caso foi registrado em um Boletim de Ocorrência online no mesmo dia. Procurada, a Polícia Civil disse que ainda não conseguiu encontrar a ocorrência.

A vítima acrescentou que o condomínio ficou de acionar o morador que receberia a visita para obter a identidade e mais informações sobre o agressor.

A reportagem procurou o Sieec-PE (Sindicato dos Empregados em Condomínios de Pernambuco), que informou que está acompanhando o caso e dando assistência ao porteiro. A entidade foi até o residencial na tarde desta quarta (17) para uma reunião. O sindicato acrescentou que vai identificar o agressor e mover contra ele uma ação na Justiça.

A vítima acrescentou que espera que o homem seja encontrado e que ele tenha se arrependido. "Tomara que ele tenha colocado a cabeça no travesseiro e refletido. Que assuma que está errado. E a gente encerra esse assunto."

Como ainda não há informações suficientes para se chegar ao homem visto cometendo as agressões no vídeo, a reportagem não conseguiu contato para um posicionamento.

 

Fonte: Folhapress 

Imprimir