Cidadeverde.com
Esporte

Flamengo inicia giro europeu por treinador e tem fiasco de Dome na memória

Imprimir

O Flamengo conversou com agentes, avaliou candidatos e, enfim, cruzou o oceano Atlântico em busca de seu novo treinador. A partir deste sábado (18), o diretor Bruno Spindel inicia a missão que terá Lisboa (POR) como ponto de partida. 

Gripado, o vice-presidente de futebol rubro-negro, Marcos Braz, adiou seu embarque em um dia, conforme informado inicialmente pelo GE.

Essa não é a primeira vez que a dupla rubro-negra faz um "mochilão" por um comandante europeu. Em julho de 2020, dias depois do anúncio da saída de Jorge Jesus, Braz e Spindel também adotaram o mesmo procedimento. 

Após encontros e almoços com nomes como o espanhol Fernando Hierro e o português Carlos Carvalhal, o Flamengo fechou com Domènec Torrent, que tinha no fato de ter sido auxiliar de Pep Guardiola o seu ponto mais positivo.

O espanhol chegou ao clube cercado de expectativa, mas sua passagem não deixou saudade. Dome desmontou o esquema deixado pelo Mister, mexeu incessantemente em peças e não resistiu a um festival de goleadas.

O episódio deixou lições para os rubro-negros, que viajaram com ideias mais claras sobre o que o clube pretende dessa vez.

Naquela ocasião, os dirigentes do Flamengo vinham embalados por um 2019 avassalador e entendiam que precisavam de um treinador que apenas seguisse com o trabalho que já estava em curso. 

A prática, no entanto, foi um fracasso. Ficou claro para a cúpula de futebol que a escolha não havia obedecido critérios mais rígidos de análise.

Após um 2021 que terminou de forma amarga, o Flamengo sabe que a margem de erro dessa vez é mínima.

Com a pressão da arquibancada de volta, a expectativa dos torcedores é de que o time volte a encantar e termine a temporada com as voltas olímpicas que faltaram neste ano, enfrentando fortalecidos Atlético-MG e Palmeiras.

"O Flamengo está muito tranquilo e certo do que quer e vai contratar um profissional à altura do clube. A gente tem alvo e planejamento. Vamos fazer com cuidado e calma", disse Braz.

A agenda rubro-negra começa pela capital portuguesa, e a tendência é que Paulo Sousa seja o primeiro a ser sabatinado. O luso está na seleção da Polônia, mas seu contrato é flexível e ele já deixou claríssimo aos rubro-negros que topa o desafio.

Grande sonho da torcida, Jorge Jesus também terá um encontro com velhos conhecidos. A tarefa pelo retorno do Mister é ingrata, mas os dirigentes já foram mais céticos quanto ao assunto.

Carlos Carvalhal, do Braga (POR), também está na mira. Pesa contra o treinador uma multa de 10 milhões de euros (cerca de R$ 63,6 milhões).

Há, contudo, alguma brecha para negociar, já que os portugueses sinalizaram que podem fazer um desconto e fazer o negócio por algo em torno de 3 milhões de euros (R$ 19 milhões).

Rui Vitória e Paulo Fonseca são outras alternativas que circulam entre os diretores. É bem provável que ao menos com um deles em Portugal entre na roda para conversar.

Existe a possibilidade de que os representantes do clube façam contatos em outros países europeus. Ex-Barcelona, Ernesto Valverde foi oferecido, mas ainda não há uma conversa formal marcada.

Após ser empossado presidente durante o próximo triênio, Rodolfo Landim deixou claro que há outros alvos em potencial:

"Não necessariamente o novo treinador vai falar português, ele vai falar uma língua que todos jogadores vão entender. Temos portugueses, sul-americanos e europeus."

Com o movimento concreto, o Flamengo pretende liquidar essa situação e virar a página. Os dirigentes estão seguros de que uma nova comissão técnica estará na reapresentação do elenco, em 10 de janeiro.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir