Cidadeverde.com
Esporte

Com fim de jogo tenso, Palmeiras bate São Paulo e vai à final da Copinha

Imprimir

Com um gol de Giovani aos 4 do primeiro tempo, o Palmeiras bateu o São Paulo por 1 a 0 na Arena Barueri, nesse sábado (22). A vitória garantiu o Verdão em sua terceira final de Copinha, vivo na busca pela conquista inédita.

Foto - Roberto Zacarias - Palmeiras

O confronto teve dois tempos bem distintos. Enquanto o Alviverde conseguiu pressionar até o intervalo, o Tricolor conseguiu reagir e pressionou demais na segunda etapa, mas sem conseguir buscar o empate.

O Santos será o adversário da grande final, que acontece nesta terça (25).

Confusão no fim

Já aos 50 da segunda etapa, alguns torcedores do São Paulo invadiram o gramado e tentaram agredir atletas do Palmeiras que estavam no campo de defesa. A polícia agiu rápido e, com a ajuda dos próprios jogadores do São Paulo, conseguiu controlar a torcida.

Após o tumulto, o árbitro da partida ainda encontrou uma faca no gramado e levou o item para o quarto árbitro e o delegado da partida.

O clima tenso fez com que alguns jogadores não quisessem seguir com o confronto. Depois de cinco minutos de paralisação, o jogo reiniciou para os dois minutos que ainda faltavam de acréscimos.

Quem foi bem: Giovani

Grande articulador do Palmeiras na partida, o camisa 7 teve uma grande noite, sendo o responsável por criar as melhores chances para seus companheiros no Verdão.

Por outro lado, também soube resolver sozinho: desarmando Pablo e batendo para abrir o placar na primeira etapa. Cansado, deixou o campo aos 27 do segundo tempo.

Quem foi mal: Pablo

Muito nervoso, o capitão são-paulino escapou de ser expulso ainda na primeira etapa. Além das reclamações excessivas com a arbitragem, que optou por levar na conversa.

Ainda deu uma entrada dura em Fabinho no final da primeira etapa, quando recebeu o amarelo.

Por fim, falhou feio no gol que abriu o placar, carregando a bola para trás e sendo desarmado por Giovani. Com dores na coxa esquerda, foi substituído aos 31 da segunda etapa.

Endrick sai do banco

Nome que mais chama a atenção da torcida palmeirense, o atacante Endrick começou, mais uma vez, no banco de reservas.

Aos 17 do segundo tempo, foi chamado para entrar e teve uma participação discreta. Com o Palestra mais recuado, o camisa 9 pouco fez no ataque.

Atuação do São Paulo: Melhora depois do intervalo

O time Tricolor não fez um grande primeiro tempo. Apesar do time conseguir com Vitinho, que parou na trave aos 12 minutos, e Maioli, com um chute forte defendido por Mateus aos 14, o time do Morumbi foi controlado em campo.

Já no segundo tempo, a equipe cresceu ao se lançar ao ataque. O poderio ofensivo cresceu demais e foram 5 grandes oportunidades de empatar com menos de 15 minutos de partida. No entanto, o time parou na defesa alviverde e não conseguiu o empate.

Aos 48 do segundo tempo, Talles aproveitou a bola rebatida e, sozinho, bateu de primeira. Na grande chance da equipe, a bola caprichosamente beliscou a trave e foi para fora.

Atuação do Palmeiras: Blitz funciona

A bola começou a rolar na Arena Barueri e o Palestra se lançou ao ataque. Mesmo com o placar aberto aos 4 minutos, o Verdão manteve a pressão e teve outra boa chance, com Caio, aos 11, acertando a trave.

Depois disso, o time passou a atuar mais recuado, mas seguiu ameaçando o gol defendido por Young. Aos 34 do primeiro tempo, Gabriel Silva teve a chance de cabecear para o gol, porém mandou em cima do arqueiro.

Cronologia do jogo

Com 4 minutos, Pablo correu para trás, perdeu a bola para Giovani, que avançou e acertou a rede para abrir o placar para o Palmeiras. O time alviverde continuou melhor na primeira etapa, mesmo recuando no final e tentando explorar as jogadas de contra-ataque.

No segundo tempo, o Tricolor voltou com tudo para buscar o empate e pressionou demais o adversário.

O técnico Alex gastou todas alterações, respondendo as trocas do Palmeiras, e conseguiu manter o time no campo ofensivo. Mesmo assim, o setor de criação não foi muito efetivo para proporcionar grandes chances de deixar tudo igual.

Torcida demora para entrar

Pela primeira vez nesta Copinha, a FPF optou por cobrar ingressos da torcida são-paulina, única que teve acesso à Arena Barueri.

Mesmo assim, a fila para entrar seguia enorme durante o primeiro tempo e, apenas no intervalo, o estádio ficou bem ocupado. Oficialmente, o duelo teve 11.781 pagantes para uma renda de R$ 292.320,00.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir