Cidadeverde.com
Últimas

Flagrantes de assaltos: vídeos mostram ação de criminosos próximo à UFPI

Imprimir

A ação de criminosos em plena luz do dia para realização de assaltos, com cada vez mais violência, tem preocupado a população principalmente na região da Universidade Federal do Piauí (UFPI), na zona Leste de Teresina.

Um dos casos que tem repercutido, é de um vídeo que mostra um estudante, por volta das 6h, andando em uma calçada próxima da universidade, na terça-feira (5), quando um casal tentou realizar um assalto. A vítima corre e cai, momento em que o condutor da moto avança na calçada e atropela a vítima. Ainda consciente, ele luta contra os suspeitos para evitar que seus bens sejam levados. Ele chega a correr atrás dos criminosos, mas eles conseguem fugir.

Outro caso registrado foi na última segunda-feira (4), na Avenida Nossa Senhora de Fátima, por volta das 11h30, na entrada da UFPI. Dois homens atravessam a rua a pé e se aproximam do local onde ocorre uma venda de lanches, quando uma mulher sai do local para entrar no carro, é abordada pelos criminosos. Ela tenta fugir, mas eles conseguem pegar a chave do veículo e roubam o carro.

O major Marcos, comandante do 5º BPM, informou que essa região da UFPI tem sido realizada uma fiscalização para combater esses crimes.

“Fica uma viatura naquela rotatória. É a audácia dos meliantes, porque como eles não perceberam a viatura que se alonga para fazer o policiamento [na UFPI], eles decidiram procurar uma vítima com menor potencial vulnerável e ocorreu o roubo desse veículo, e eu acredito que em questão de dias esse veículo seja localizado”, destacou.

Na última sexta-feira (1), representantes da Universidade Federal do Piauí, da Polícia Militar e da Polícia Federal se reuniram para discutir a segurança dos docentes e discentes da instituição, após informação sobre arrastões que estariam sendo registrados no campus de Teresina no início do retorno presencial das aulas. 

O comandante explicou que quando a polícia não é informada sobre esses crimes, acaba prejudicando a implementação de ações.

No dia 22 de junho do mês passado, fui questionado sobre os arrastões, mas fizemos pesquisa, e não tinha um caso notificado de pessoa informando sobre um roubo de celular. Então não constava nenhum caso. No 12º DP, só teve um caso notificado, então sempre orientamos que as vítimas liguem para o 190, e se disser que não consegue o contato, tem outras alternativas, como procurar no site da PMPI onde tem os telefones dos batalhões”, explicou.

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir