Cidadeverde.com
Esporte

Atlético-GO faz história, bate Olimpia nos pênaltis e avança na Sul-Americana

Imprimir

O Atlético-GO fez história na noite desta quinta-feira (7) e está mais vivo do que nunca na Sul-Americana. Depois de perder por 2 a 0 no jogo de ida das oitavas de final para o Olimpia, a equipe brasileira conseguiu vencer os paraguaios pelo mesmo placar no Serra Dourada. 

Foto - Alan Deyvid-ACG

Nos pênaltis, os goianos foram mais eficientes e ficaram com a vaga nas quartas de final.

Os gols do tempo regulamentar foram marcados por Churín e Airton -ambos saíram antes dos dez minutos de partida.

Nas cobranças de penalidades, os goianos converteram todos os seus chutes, enquanto o goleiro Ronaldo brilhou e defendeu a cobrança de Quintana, do time visitante.

Com o resultado, o clube comandado por Jorginho eliminou os paraguaios e terá pela frente o Nacional-URU na próxima fase.

Tricampeão da Libertadores, o tradicional clube uruguaio entrou na competição diretamente no mata-mata após ficar na terceira posição de seu grupo na Libertadores. Nas oitavas, venceu o Unión Santa Fé por 4 a 1 no placar agregado.

Atlético-GO e Nacional vão se enfrentar nas duas primeiras semanas de agosto -a Conmebol ainda vai detalhar datas e horários.

No primeiro minuto de jogo, Shalyon acionou Churín dentro da área, que escorou de cabeça para Jefferson. O lateral bateu e obrigou o goleiro Olveira a trabalhar. Logo depois, Airton fez jogada pela direita e assustou os adversários.

Em meio à pressão, os mandantes abriram o placar aos quatro minutos. Em escanteio cobrado por Airton, Churín subiu mais do que todo mundo e cabeceou firme para o gol do Olimpia.

Apenas três minutos depois, o Atlético-GO chegou ao segundo gol e enlouqueceu os torcedores do Serra Dourada -e novamente com participação de Airton.

O atacante recebeu passe pela direita e, em jogada individual, fez fila até a entrada da área. Com categoria depois de passar por ao menos três marcadores, ele deslocou Olveira e balançou as redes, igualando a disputa no placar agregado em apenas sete minutos.

O time goiano quase liquidou a fatura ainda no primeiro tempo, mas pecou na famosa "última bola" até o intervalo.

A primeira grande chance do terceiro gol saiu com Churín, que em novo escanteio -desta vez cobrado por Shaylon carimbou a trave do Olimpia aos 17 minutos.

Mais uma vez em lance de bola parada, os brasileiros causaram perigo. Marlon Freitas até balançou as redes na sobra de um escanteio, mas o gol foi anulado por impedimento.

Ainda teve tempo para Airton ficar cara a cara com Olveira e parar no goleiro do Olimpia antes do apito que encerrou a etapa inicial.

O início do segundo tempo teve os paraguaios tentando equilibrar o jogo e diminuir o ritmo, mas os mandantes conseguiram impor velocidade novamente.

A partir dos 20 minutos, o Atlético-GO voltou a assustar o rival: Marlon Freitas arriscou de fora da área e viu Olveira operar novo milagre e espalmar para escanteio.

Shaylon, em falta cobrada nos lances seguintes, arriscou um chute por baixo e quase surpreendeu os visitantes, que conseguiram controlar o lance.

Já na parte final do confronto, o jogo perdeu intensidade e as equipes não conseguiram mais causar perigo.

Wellington Rato e Alejandro abriram a série de cobranças e deslocaram os goleiros adversários.

Baralhas cobrou no meio e manteve o Atlético-GO 100%, enquanto o goleiro Ronaldo brilhou e fez uma linda defesa no chute de Quintana.

Com tranquilidade, Shaylon ampliou a vantagem para o Atlético-GO. Ortiz, no entanto, converteu sua cobrança para o Olimpia..

Rickson, que entrou nos segundos finais da partida com o objetivo apenas de bater o seu pênalti, não decepcionou e balançou as redes. Cardozo também fez e postergou a disputa: 4 a 3.

O capitão Marlon Freitas teve a chance de marcar e garantir o Atlético-GO nas quartas -e, com muita categoria, converteu.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir