Cidadeverde.com
Esporte

Gabigol reata casamento com a torcida do Flamengo, mas é desfalque contra o Coritiba

Imprimir

Gabigol e Flamengo viveram o momento mais conturbado neste quarto ano de casamento. A versão artista do atacante fez a relação com a torcida esfriar por um tempo.

Gabigol em treino do Flamengo no Ninho do Urubu — Foto: Alexandre Vidal

No entanto, um dos protagonistas na classificação às quartas da Copa do Brasil voltou a viver momentos de lua de mel com os rubro-negros.

O atacante não marcou gol no mata-mata, porém tem menção honrosa na vaga para próxima fase. A declaração prometendo um "inferno" no Maracanã trouxe a torcida para perto do time, mudou o tom do jogo, ditou o enredo e criou uma atmosfera de decisão.

Gabi embalou os torcedores do Flamengo e estreitou a relação de uma forma que não era vista há tempos.

A torcida abraçou o prometido "inferno", citado pelo atacante após a derrota em Belo Horizonte, e preparou uma festa emblemática no Maracanã, com direito a mosaico, foguetório, fumaças e faixas. As confusões no entorno do estádio, por sua vez, foram lamentadas pelo jogador.

"Eu fico feliz [que a torcida tenha comprado a ideia]. Eles entenderam o que eu falei. Hoje [quarta] foi um inferno. Um inferno até para a gente chegar aqui, para o Atlético chegar também. Eu fico triste porque soube que o ônibus foi quebrado, isso não faz parte da festa. 

Mas dentro de campo foi lindo. Desde o aquecimento. O mosaico, os fogo, a cor vermelha e preta do Flamengo no Maracanã. Foi uma noite inesquecível e vai ficar marcada para sempre. Eu espero que a gente combine mais infernos daqui para frente", disse o atacante.

Curiosamente, foi o "inferno" que levou o jogador ao céu mais uma vez com a torcida do Flamengo. A relação voltou a viver dias de paz após uma mini-crise. O 'novo Gabriel', seja o que pisa mais fora da área ou aquele que é conhecido como Lil Gabi, demorou a ganhar a confiança dos torcedores.

Mas essa nova versão foi a que embalou a torcida no apoio para a virada na Copa do Brasil. Ainda no caminho da reconquista, a fim do amor em todas as versões, e querendo prolongar os dias de lua de mel, Gabi voltará a campo somente na quarta-feira (20), contra o Juventude, no Mané Garrincha. 

O atacante cumpre suspensão contra o Coritiba, neste sábado (16), às 19h, no estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF), pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

OS TIMES

Sem Gabigol, a tendência é a escalação de Marinho pelo lado direito do ataque. Outra possibilidade é a entrada de Vitinho.

Não se sabe, porém, que time o técnico Dorival Júnior mandará a campo, já que ele tem adotado revezamento para não desgastar seus atletas nos três torneios em disputa. Dessa forma, Everton Ribeiro, Filipe Luís e Arrascaeta podem ser preservados.

O Flamengo entrará em campo com a seguinte formação: Santos; Rodinei (Matheuzinho), Fabrício Bruno, Léo Pereira (Pablo) e Ayrton Lucas; João Gomes, Thiago Maia (Victor Hugo), Everton Ribeiro e Arrascaeta (Vitinho); Marinho e Pedro.

Com 21 pontos, o Flamengo ocupa a nona colocação e vem de derrota para o Corinthians por 1 a 0. A equipe rubro-negra está nove pontos atrás do líder Palmeiras, mas aposta em uma sequência diante de sua torcida para encostar no topo.

Depois de encarar o Coritiba, o time vai enfrentar o Juventude também no Mané Garrincha.

Já o Coritiba terá um reforço na defesa para o duelo: o lateral esquerdo Diego Pofírio. O Coxa deve atuar com a seguinte escalação: Rafael William; Matheus Alexandre, Guillermo, Luciano Castán e Diego Porfírio; Willian Farias, Val e Régis (Galarza); Alef Manga, Léo Gamalho e Igor Paixão.

Com 19 pontos, o Coritiba ocupa a 16ª colocação e precisa se afastar da zona de rebaixamento. Nos últimos oito jogos, o time alviverde somou apenas seis pontos e vem de um empate em casa com o Juventude.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir