Cidadeverde.com
Vida Saudável

COE mantém medidas restritivas em Teresina após alta de no interior do estado

Imprimir

Foto: Renato Andrade/Cidadeverde

A cidade de Teresina continua em queda em relação aos casos de Covid-19, mas as atuais medidas preventivas continuam em vigor pelo menos até as próximas duas semanas, que é quando o Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE), da Fundação Municipal de Saúde (FMS), vai analisar se a alta de casos da doença no interior do Piauí, assim como o fim das férias e o retorno das aulas teve algum impacto na capital.

O boletim epidemiológico divulgado em Teresina em relação à 30ª semana epidemiológica, de 24 a 30 de julho, aponta vários dados positivos em relação à covid na capital.

  • queda de 46% nos casos confirmados;
  • taxa de transmissão da doença em 0.6;
  • redução de 12% nos atendimentos por síndrome gripal;
  • redução de 53% nas internações de síndromes gripais nas últimas semanas;
  • queda de 20% nos óbitos por covid-19 nas últimas semanas;

O médico virologista do COE, Marcelo Vieira, membro do COE, afirmou ao Cidadeverde.com que todos os dados apontam que a cidade de Teresina permanece com uma baixa transmissão da doença. “Todos os indicadores foram positivos, teve queda nos atendimentos, quedas nos casos confirmados e pela primeira vez queda nos óbitos depois de um bom tempo de estabilização”, afirmou.

Apesar dos dados positivos, as atuais medidas restritivas, como uso obrigatório de máscara em ambientes hospitalares e a recomendação para a máscara em locais fechados, permanecem em vigor

Somente daqui há duas semanas é que o COE pretende analisar se essas medidas restritivas vão ser mudadas, isso porque serão analisados os dados epidemiológicos após o fim das férias, o retorno das aulas e ainda o cenário estadual, onde ocorre atualmente um aumento de casos de Covid-19.

“Segundo orientação do COE, as próximas duas semanas serão de observação pelo retorno do período de férias e período letivo e possível fluxo de pacientes com Covid grave no interior onde a transmissão ainda está elevada. Em Teresina, a transmissão está baixa, em 0.6, só que no interior, segundo a Sesapi, existe um aumento, que pode afetar Teresina, pois temos aqui uma forte rede hospitalar, onde muitos acabam sendo transferidos para a capital, por isso temos que ficar atentos a esses dados. As atuais medidas preventivas não mudam, daqui a duas semanas é que devemos rediscutir”, explicou.

O virologista afirmou que não acredita que a situação estadual pode afetar a cidade de Teresina. “Existe uma possibilidade teórica, mas a chance é que isso não vá acontecer. Pois com esse aumento de casos de Covid, temos uma população que foi exposta, que provavelmente vai pegar uma imunidade e temos outra parte da população vacinada, então deve ocorrer uma queda de casos e isso deve se manter por alguns meses, seja pela vacinação ou pela infecção. O nosso sistema hospitalar na capital só deve ser impactado se ocorrer lotação nos leitos do interior, e aí vamos ter pacientes sendo transferidos”, destacou.
 

 

 

Bárbara Rodrigues
[email protected]

Imprimir