Cidadeverde.com
Picos

Em sessão na Câmara, moradores de Valparaíso protestam contra lixão municipal

Imprimir

Foto: Leandro Cruz/CMP

Nesta quinta-feira (08) durante sessão ordinária da Câmara Municipal de Picos, moradores da comunidade Valparaíso realizaram um manifesto pacífico contra o lixão municipal instalado no povoado.

Munidos de faixas e cartazes, os moradores reivindicaram atenção do Legislativo Municipal para que busquem tomar providências sobre o problema. A população da área diariamente convive com a fumaça provocada pela queima de resíduos do lixão.

A presidente da Associação de Moradores do Valparaíso, Rosilene Moura, afirmou que o lixão tem provocado vários transtornos e prejuízos à saúde dos moradores. 

"Há praticamente 10 anos, a comunidade do povoado Valparaíso vem sofrendo pelos transtornos causados pelo lixão. As queimadas e o mau cheiro são constantes, contaminando e prejudicando a saúde dos nossos moradores. Faz 32 dias que a comunidade amanhece todos os dias sob fumaça tóxica. Estamos aqui para reivindicar nossos direitos. Não suportamos mais viver assim!", relata Rosilene Moura.

Durante a sessão, o vereador Wellington Dantas (PT) fez um discurso incisivo sobre a pauta popular e pediu direito à fala para os moradores. No entanto, seguindo o protocolo regimental da Casa Legislativa, o vice-presidente Pedro Pio (Progressistas) não concedeu o espaço de fala.

Diante da situação, o parlamentar destacou a necessidade de audiência pública para discutir o problema que tem afetado dezenas de famílias.

"O lixão do Valparaíso é problema de saúde pública. É um problema que precisamos resolver imediatamente, com urgência! Precisamos unirmos forças para enfrentarmos e solucionarmos. Então, solicitamos uma audiência pública para buscarmos resoluções legais, com o Ministério Público, a OAB e a Igreja como classes representativas", frisou.

Em razão do manifesto, o presidente da Câmara de Picos, vereador Francisco das Chagas, firmou o compromisso de tomar as providências cabíveis em prol da comunidade.

"Esse problema vem se arrastando de muitas gestões passadas. Nós, vereadores, estamos há muitos anos lutando em favor dos moradores. Então, realizaremos novamente mais uma audiência pública para exigirmos uma solução. Na próxima semana, haverá uma nova reunião com o objetivo de viabilizar recursos para a construção de um aterro sanitário no padrão mais moderno que existe", pontuou.

Paula Monize

[email protected]

Imprimir