Cidadeverde.com
Política

Wellington Dias afirma que postura de Carla Zambelli reflete política do ódio

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Ascom

Ao votar na manhã deste domingo (30) na zona Leste de Teresina, o senador eleito Wellington Dias (PT) criticou a postura da deputada federal Carla Zambelli (PL) de perseguir um homem negro com uma arma em punho no último sábado (29). Para ele, não se trata de um ato isolado e a ação é um reflexo da política do ódio e do armamento. 

"Há uma necessidade de pacificação. Algumas coisas foram banalizadas. A mentira e o espalhar de ódio foram banalizados com a facilidade de armamento e aquisição de munição. Não é um episódio isolado envolvendo a deputada Carla Zambelli. Parece uma coisa natural, mas não é", avaliou o ex-governador.

A parlamentar bolsonarista sacou uma arma e apontou para pessoas neste sábado em um bairro próximo à Avenida Paulista, em São Paulo.  Em vídeo gravado por testemunhas, um rapaz aparece correndo em direção a uma lanchonete enquanto Zambelli e alguns homens aparecem em perseguição. Um deles grita "deita no chão, vagabundo".

Por sua vez, Wellington Dias disse que defende a realização de uma consulta popular para estabelecer um maior controle do acesso a armas e munições. "É preciso ter regras democráticas e sólidas. Não se resolve problema de violência com mais armas e munição, por isso defendo o plebiscito para o maior controle do armamento", afirmou.

Sobre a disputa presidencial, o senador eleito disse estar confiante na vitória de Lula no segundo turno com a ampliação de votos em todos os estados brasileiro, sobretudo na região Nordeste. A expectativa é que no Piauí o candidato petista ultrapasse a marca alcançada no primeiro turno e alcance cerca de 80% dos votos válidos

Depois de votar, Wellington Dias informou que viajará para São Paulo para acompanhar a apuração dos votos ao lado de Lula, que deve dar uma coletiva de imprensa por volta das 20h. 

 

Flash Yala Sena
redaçã[email protected]

Imprimir