Cidadeverde.com
Esporte

História do jornalista Carlos Said, o magro-de-aço, vira quadrinhos

Imprimir

Ícone do jornalismo esportivo piauiense, Carlos Said é o personagem homenageado com uma história em quadrinhos publicada na quarta edição da coleção “Gente Querida”, criada pelos professores Cineas Santos e Wilson Seraine para homenagear nomes de homens e mulheres cujas trajetórias se destacam na cultura do Piauí.

A obra “Carlos Said, o Magro-de-Aço” foi escrita pelo filho do homenageado, o professor e jornalista Gustavo Said, e ilustrada pelo quadrinista Gillan King. De leitura fácil e rápida, o livro conta episódios históricos da carreira do profissional que apesar da fama de zangado, teimoso e brigão, segue como referência pelo seu conhecimento sobre futebol.

"Nesta quarta edição há o trabalho biográfico sobre a vida do jornalista e professor Carlos Said, esse ícone da cultura piauiense, uma lenda vida. Um cara que apostou alto no futebol e jornalismo esportivo quando isso não dava crédito algum, quando na verdade o futebol e o jornalismo esportivo eram vistos como atividades marginais”, explica o autor. 

Fotos: Renato Andrade/Cidadeverde.com

Na HQ, uma das histórias contadas é como um acidente em 1964 durante uma cobertura na unidade móvel da Rádio Pioneira deu origem ao apelido de "Magro-de-Aço" a Carlos Said. Internado após o ocorrido, o jornalista ouviu de alguém que se sobrevivesse, voltasse a andar e a comentar futebol era porque se tratava de um “magro de aço”.  

“Ele ouviu aquilo, internalizou esse personagem e passou a fazer jus àquilo que se dizia sobre esse personagem. Ele vive intensamente e é absolutamente coerente em suas atitudes no seu comportamento [...] eu poderia dizer que foi o evento que transformou o personagem social Carlos Said em lenda e mito Magro-de-Aço”, avalia o filho. 

A publicação também traz uma referência e presta homenagem a Dídimo de Castro, jornalista esportivo que iniciou em 1962 uma parceria de muito sucesso com Carlos Said. “Tive uma espécie de insight e pensei que era hora de homenageá-lo com essa história em quadrinhos, o colocando como narrador”, explica Gustavo Said. 

O livro está à venda na Livraria Entrelivros, na zona Leste de Teresina, e na editora Aliança, mas também está em processo de distribuição para outras livrarias e bancas de revistas. 

 

Breno Moreno 
[email protected]

Imprimir