Cidadeverde.com

Delegada do caso Janaína diz que ficou "surpresa" após tribunal não considerar crime de feminicídio

Foto: Renato Andrade / Cidadeverde.com

Por Roberto Araujo

A delegada Nathalia Figueiredo, responsável pelo inquérito que investigou o estupro seguido de assassinato da estudante Janaína Bezerra em uma sala de estudos da Universidade Federal do Piauí (UFPI) em janeiro deste ano, disse que viu com "grande surpresa" a exclusão da qualificadora de feminicídio da pena de Thyago Mayson da Silva Barbosa. Ele foi condenado pelo Tribunal do Juri a 18 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de homicídio qualificado, emprego de meio cruel, estupro de vulnerável, vilipêndio de cadáver e fraude processual. O julgamento foi concluído na manhã deste sábado (30).

"Foi com grande surpresa que eu vi que o juri decidiu pelo homicídio culposo, talvez tenha colocado a questão da imprudência. Eu acho que vai totalmente de encontro com o que foi produzido. Eu continuo entendendo que houve assunção do risco de produção de resultado morte", disse a delegada ao Cidadeverde.com.

Para a delegada, o autor do crime assumiu o risco de morte de Janaína. Ela também aponta que, pelos elementos apurados na investigação, ele cometeu o crime de forma cruel.

"Tanto vejo a qualificadora do feminícidio, porque vejo que diante de tudo o que foi produzido ele assumiu sim o risco de produção de resultado, pra ele era indiferente a vida da vítima, ele queria satisfazer e perversão sexual dele de forma brutal, que foi o que aconteceu, utilizou-se de meio cruel, e eu tinha colocado também a qualificadora de meio cruel", pontuou a delegada.

Foto: Arquivo pessoal

O julgamento

O julgamento do caso Janaína Bezerra foi iniciado na manhã da sexta-feira (29) e concluído nas primeiras horas da manhã deste sábado (30), após todas as testemunhas e o acusado serem ouvidos. A sessão, presidida pelo juiz Antônio Nollêto, da 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri da Comarca de Teresina. A família e a imprensa não tiveram acesso ao julgamento, realizado depois de dois adiamentos. Vídeos e provas coletadas durante a investigação foram apresentadas ao conselho de sentença - formado por quatro homens e três mulheres - durante o júri.

A advogada de acusação, Florence Rosa, questionou a dosimetria da pena aplicada ao condenado e disse que irá recorrer do caso. "Ele foi condenado a uma pena de 18 anos e 6 meses por todos os delitos imputados à denúncia, entretanto em relação ao feminicídio, a nossa percepção é de que houve uma confusão por parte dos jurados quanto a tese descalcificatória, essa é a nossa percepção, e em razão disso nos vamos entrar com recurso", disse a advogada.

 

 

Relembre o caso

Janaína Bezerra foi encontrada morta na madrugada do dia 28 de janeiro, após uma calourada estudantil na UFPI. Thiago Mayson foi preso no mesmo dia como o principal suspeito pelo crime cometido dentro das instalações da instituição de ensino. 

A investigação realizada pelo Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) indiciou o acusado por homicídio duplamente qualificado, incluindo feminicídio, além de estupro, vilipêndio de cadáver e fraude processual.

Foto: Arquivo Pessoal

Você pode receber direto no seu WhatsApp as principais notícias do CidadeVerde.com
Siga nas redes sociais