Cidadeverde.com
Geral

Ônibus é incendiado e Setut tira veículos das ruas de Teresina

Imprimir
Atualizada às 17h43min

Foi suspensa na tarde desta quinta-feira (1º) a circulação das linhas de ônibus coletivos da capital. A informação foi divulgada pelo Setut - Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina - depois de um ônibus ser incendiado na zona Leste. O ato é atribuído a manifestantes contra o aumento da tarifa de transporte público. Eles protestam desde segunda-feira contra o reajuste de R$ 1,90 para R$ 2,10, decretado no último sábado. 

Fotos: Thiago Amaral/Cidadeverde.com

Por volta de 15h30, um ônibus foi incendiado próximo na avenida João XXIII próximo ao cruzamento com a avenida Nossa Senhora de Fátima. O Corpo de Bombeiros foi acionado e tentou isolar a área para evitar a aproximação de pessoas e extinguir as chamas. O veículo da empresa Transcol foi parado em frente a um bar, no sentido zona Leste - Centro. 


Daniel Santos e Kátia Cibele trabalham próximo ao local do incidente e relataram ao Cidadeverde.com o que viram. Eles voltavam do almoço quando flagraram pessoas encapuzadas invadirem o veículo, saquearem o mesmo, furarem os pneus e atearem fogo na poltrona do cobrador. Depois que a fumaça começou a aumentar, policiais se deram conta de que o ônibus estava sendo incendiado. 

Kátia gravou tudo em um telefone celular. "Quiseram virar o ônibus, mas não conseguiram. Aí resolveram colocar fogo na cadeira do cobrador. Eles estavam todos encapuzados. Eu filmei tudo e já vou entregar para a polícia", disse ao Cidadeverde.com. Segundo ela, o veículo era padronizado (ônibus verde).


Os manifestantes seguiram pela avenida Nossa Senhora de Fátima até a ponte estaiada. Na praça do Marquês, zona Norte, atearam fogo em sacolas de lixo. Pedras chegaram a ser atiradas em uma viatura do Gate - Grupo de Ações Táticas Especiais. O movimento, que não é composto  mais apenas por estudantes, seguiu em direção a avenida Frei Serafim. Alguns chegaram a fazer ameças para a equipe da TV Cidade Verde e a do Cidadeverde.com. 


"Eles estão mais agressivos. O movimento não tem uma unidade, não tem um foco. Eles estão cada vez mais agindo de forma alterada", disse o cabo Jefferson Rodrigues, Rondas Ostensivas de Natureza Especial - Rone. Segundo ele, a polícia só está autorizada a agir com armamento não letal e caso os manifestantes promovam alguma ação que coloque em risco a segurança dos mesmos. 

A coronel Júlia Beatriz Almeida, do gerenciamento de crises da Polícia Militar, comanda a operação. Segundo ela, as chamas no lixo não representam ameaça e o movimento ainda não justificou intervenção da força policial. 

No cruzamento da Frei Serafim com a rua Coelho de Resende, lixo e placas educativas de trânsito foram colocadas em pneu para atear fogo. A principal avenida de Teresina voltou a ser fechada por volta de 17h30. Policiais se antecipam ao roteiro dos manifestantes e usam motos para bloquear vias e diminuir o impacto do protesto no trânsito. A tropa de choque ficou em um micro-ônibus para ser acionada se necessário. 

Preso no trânsito, o empresário Eduardo Ramos achou uma irresponsabilidade da polícia não intervir para dispersar o movimento. "A segurança deles está em jogo. E estou vendo aqui muitos deles com garrafas de cerveja na mão, eu vi. Isso pode ser perigoso depois, quando eles estiverem bêbados". O Cidadeverde.com presenciou pessoas com bebidas alcoólicas na manifestação. 


Choque de informações
O Setut divulgou nota nesta tarde informando que houve determinação da Strans - Superintendência de Transportes e Trânsito de Teresina. No entanto, através da rede social Twitter, a Prefeitura de Teresina informou que "a determinação de paralisar o serviço de transporte coletivo partiu do SETUT, e não da Strans".

A Strans acrescentou que um diretor do Setut, Marcelino Lopes, enviou mensagem para o telefone celular da superintendente Alzenir Porto e ela não chegou a responder. O órgão da Prefeitura declarou que não há autorização para suspender a circulação da frota e a intenção é de que os veículos circulem.

Em seguida, o Setut informou que o presidente Herbert Miúra recebeu do coronel Adonias a informação de que poderia suspender a circulação da frota. 

Ainda segundo o Setut, são dois os ônibus incendiados. O Corpo de Bombeiros confirmou que até 16h20 tinha notícia de apenas um veículo queimado. O Cidadeverde.com apurou com a polícia que oito ônibus teriam sido danificados. 

A frota de ônibus de Teresina conta com 500 veículos que transportam 250 mil passageiros por dia. 


Veja a nota do Setut

O SETUT LAMENTA NÃO TER COMO GARANTIR O DIREITO DE IR E VIR A POPULAÇÃO NA TARDE DESSA QUINTA-FEIRA. O ATENDIMENTO ACABA DE SER SUSPENSO. 

A STRANS DETERMINOU AO SETUT QUE OS ONIBUS SEJAM RECOLHIDOS AS GARAGENS POR UMA QUESTÃO DE SEGURANÇA PUBLICA.

DESDE O INICIO DAS MANIFESTAÇOES NA SEGUNDA-FEIRA, TRINTA ONIBUS FORAM DEPREDADOS. DOIS FORAM INCENDIADOS HOJE A TARDE.

SETUT - SINDICATO DAS EMPRESAS DE TRANSPORTE URBANO DE TERESINA


Veja a nota da Prefeitura de Teresina

ESCLARECIMENTO
 
A Prefeitura de Teresina esclarece que a determinação de suspender os serviços de transporte coletivo na capital partiu do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Teresina (SETUT), e não  da STRANS, uma vez que a Superintendência não exerce gerência sobre as empresas privadas.


Jordana Cury (especial para o Cidadeverde.com)
Fábio Lima (da Redação)
Imprimir