Cidadeverde.com

Vacina da dengue em 2018 e da zika em 2019, prevê ministro

A expectativa do Ministério da Saúde é que a vacina para os quatro sorotipos da dengue exista em dois anos e a vacina para a zika exista em três. A informação foi passada pelo próprio ministro Marcelo Castro, que acompanhou, nesta quarta-feira (24), a visita da diretora-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Margaret Chan, ao Recife.

Marcelo Castro e a presidente Dilma Rousseff foram a São Paulo, na última segunda-feira (22), para assinar um contrato com o Instituto Butantan para o desenvolvimento de uma vacina contra a dengue. Estão previstos investimentos iniciais de R$ 100 milhões para o desenvolvimento de estudos nos próximos dois anos. Atualmente, a vacina do Instituto Butantan está no ensaio clínico da fase 3. “Estamos bastante confiantes que será uma vacina muito qualificada, de grande repercussão nacional e internacional”, comenta Castro.

O Butantan também está desenvolvendo uma vacina em parceria com o Institutos Nacionais da Saúde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em Inglês). Já o Instituto Evandro Chagas, do Pará, também está trabalhando numa vacina contra zika em parceria com a Universidade do Texas Medical Branch. “Todos os cientistas, tanto brasileiros como americanos, são bastante otimistas que poderão desenvolver uma vacina da zika num período inferior a um ano”, explica o ministro. A vacina precisará passar por estudos clínicos, por isso a previsão é que ela só seja utilizada em três anos.