Cidadeverde.com

FMS inicia curso de capacitação para controle do zika em Teresina

A aula inaugural do curso de capacitação para controle e prevenção de dengue, zika e chikungunya para 240 pessoas que atuam em imobiliárias, construtoras e escolas na capital teve início hoje, 8, no auditório da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

“Nosso grande objetivo em realizar esse tipo de atividade educativa é fazer com que todos os participantes saiam daqui se sentindo capacitados em relação ao combate e prevenção ao Aedes aegypti. Temos que estar habilitados e comprometidos em divulgar as informações sobre o combate a esse vetor tão perigoso”, disse Amariles Borba, diretora de Vigilância em Saúde da FMS.

O presidente da FMS, Francisco Pádua, participou da abertura do curso e lembrou das inúmeras ações que a Prefeitura de Teresina vem desenvolvendo desde o mês de dezembro de 2015 para otimizar os dados relacionados às doenças provocadas pelo mosquito Aedes aegypti. 

“Esse tipo de ação voltada à educação em saúde é muito louvável para que possamos adicionar às ações práticas que já estamos desenvolvendo. Como, por exemplo, a Faxina nos Bairros, que já passou por 40 locais de todas as zonas da cidade, recolhendo mais de 1.800 toneladas de lixo. Também já nos reunimos com diversas associações de moradores para que toda a comunidade seja nossa parceira no combate ao mosquito. Estamos também sempre monitorando as notificações para analisarmos os resultados de nosso intenso trabalho e tomar novos rumos ou continuarmos como estamos atuando”, enfatizou.

A primeira palestrante do curso de capacitação para controle e prevenção de dengue, zika e Chikungunya foi Raimunda Nonato, da Fundação Nacional de Saúde (FUNASA). Ela lembrou que o foco de nossas ações precisa ser redirecionado. “Devemos refletir mais sobre as pessoas, não sobre o mosquito. Temos que refletir nossas vivências, o meio em que vivemos, nossa relação com o meio. É preciso que cada um cuide do seu entorno. Quantas pessoas morrem porque nós não contribuímos para a saúde do planeta?”, afirmou ela.

O curso é uma parceira da FMS com a FUNASA e formado por oito turmas com carga horária de oito horas, sendo quatro horas de aula teórica e quatro horas de aula prática para cada turma. As aulas teóricas acontecem na FMS e as práticas, a partir das 14h, na Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (GEVISAST), localizada na Rua Riachuelo, 2988, Matadouro. 

 

redacao@cidadeverde.com