Cidadeverde.com

Piauí tem 139 casos notificados de microcefalia; Ministro alerta gestantes do Nordeste

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, informou nesta quarta-feira (9) que as mulheres que residem na região nordeste tem maior possibilidade de terem Zika Vírus do que as residentes no Sul. “É evidente que gestantes no nordeste têm mais chance de pegar Zika do que uma gestante no sul. Independente disso, é necessário tomar todas as precauções possíveis e os cuidados reforçados”, declarou durante a divulgação do novo boletim sobre os casos de microcefalia no país.

Castro também declarou que as relações sexuais entre as gestantes e os parceiros que estiveram em regiões consideradas endêmicas devem ocorrem com proteção. “A recomendação para as gestantes é que façam sexo seguro com os parceiros que estiveram em regiões endêmicas. É evidente que gestantes precisam tomar mais cuidados, principalmente porque a maioria das pessoas não manifestam sintomas”, disse o ministro.

Dados apontam que são 6.158 casos notificados. Desses, 745 foram confirmados, 1.182 descartados e 4.231 permanecem em investigação. A Secretaria Estadual de Saúde também divulgou novo boletim epistemológico mostrando que, até o momento, o Piauí possui 139 casos notificados. Desse total, 50 estão confirmados, 24 descartados e 65 em investigação. 

A Secretária de Saúde também informou que está analisando seis mortes de bebês relacionados à microcefalia nos municípios de Teresina, Betânia do Piauí, Cocal e Nossa Senhora dos Remédios. Segundo a Sesapi, apenas um dos casos foi confirmada a associação com o Zika Vírus. 

Novos Parâmetros 
A partir de hoje, o Ministério da Saúde passa a adotar novos parâmetros para identificar as suspeitas da doença e para medir o perímetro cefálico, com base na recomendação recentemente anunciada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). 

Os novos parâmetros, que serão adotados em consonância com as secretarias estaduais e municipais de saúde, têm como objetivo padronizar as referências para todos os países, sendo válidas para os bebês nascidos com 37 ou mais semanas de gestação. Para menino, a medida será igual ou inferior a 31,9 cm e, para menina, será igual ou inferior a 31,5 cm. 

“Cada centímetro faz diferença e os serviços de saúde estão habilitados e capacitados para fazer essa medição. Isso vai evitar que crianças normais entrem nas estatísticas e que as mães fiquem preocupadas. Na prática, teremos mais crianças adequadamente identificadas e menos crianças normais sendo investigadas”, o coordenador-geral de Vigilância e Resposta às Emergências em Saúde Pública, Wanderson Oliveira. 

A aferição do perímetro deverá ser realizada após as primeiras 24 horas de vida da criança, ou até uma semana após o nascimento. Para os bebês nascidos com menos de 37 semanas de gestação, a mudança ocorrerá na curva de referência para definição de caso suspeito. 

O Ministério da Saúde alerta que a confirmação da microcefalia e a sua associação a outra infecções, como o Zika Vírus, só pode ser feita após realização de exames complementares. 

Sobre as Olimpíadas, Castro mais uma vez tranquilizou os turistas que pretendem vir ao Brasil participar do evento esportivo. "As pessoas estarão protegidas e poderão vir para as olimpíadas sem nenhum problema mais grave. Temos o site do viajante que disponibiliza as informações sobre as precauções e cuidados que o Ministério da Saúde recomenda".

O Ministro reforçou que todos os estados receberão kits de teste Zika Vírus. Ele também declarou que as Olimpíadas ocorrerão em agosto e setembro deste ano e, nesse período, já um declínio no quadro natural de reprodução do mosquito Aedes aegypti, transmissor das doenças Zika, Dengue e Chikungunya.

“Estamos bastante seguros de que as Olimpíadas se darão com muita segurança para as pessoas que virão ao Brasil. O gráfico da dengue no Brasil, que corresponde à população do mosquito, tem o seu pico em março e abril. Em maio esse número começa a declinar e quando chega em julho e agosto estamos com níveis basais. O evento acontecerá em agosto e setembro”, comentou Castro. 


Dengue, Zika, Chikungunya e Guillan-Barré
 
A Sesapi também divulgou nesta quarta-feira, que o Piauí apresentou 484 casos notificados de dengue em 2016. Segundo os dados, nenhum município do Estado apresentou alta incidência, três municípios apresentaram média incidência (Lagoa de São Francisco, Landri Sales e São João da Varjota) e 60 municípios com baixa incidência.  161 municípios estão sem ocorrência ou sem informação de dengue neste ano. 

Até o momento, nenhum caso de Zika vírus foi notificado em 2016. Com relação ao Chikungunya foram notificados oito casos e, da Síndrome de Guillan-Barré, apenas três. 


Carlienne Carpaso
Com informações do Ministério da Saúde

redacao@cidadeverde.com