Cidadeverde.com

Governo libera R$ 10,9 milhões para acelerar diagnóstico de microcefalia; R$2,200 por caso

Nesta terça-feira (15), o Ministério da Saúde e o de Desenvolvimento Social e Combate à Fome anunciaram a liberação de R$ 10,9 milhões para acelerar o diagnóstico dos casos de microcefalia no país. A medida tem como objetivo atender as 4.976 crianças notificadas com suspeita de microcefalia ou que já estão com o diagnóstico confirmado, além de garantir assistência necessária às famílias. Incentivo será de R$ 2.200 por caso suspeito. 

Os ministérios assinaram uma portaria interministerial de ações de atenção às crianças com microcefalia. A ação é uma estratégia para esclarecer em um curto prazo de tempo o diagnóstico de todos os casos suspeitos e os encaminhados aos centros de referência. 

O último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, no dia 05 de março de 2016, apontou que o país possui 6.158 casos notificados, 4.231 casos suspeitos, 745 casos confirmados e 1.182 descartados. 

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, ao assinar a portaria, declarou que o mundo está em emergência de saúde pública de interesse internacional por causa do vírus, que está em 47 países. 

“Essa parceria é fundamental para dar acolhimento às crianças e famílias. Vamos dar um apoio adicional para estimular que as secretarias façam a busca ativa e agilize o diagnóstico. Estamos nos dedicando ao máximo para amenizar os problemas que estamos vivendo com a microcefalia", acrescentou Castro. 

Para o secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Alberto Beltrame, é uma urgência humanitária agilizar o processo de diagnóstico dos casos suspeitos. 

Ele ressalta que “as crianças que têm o diagnóstico descartado, serão acompanhadas pela puericultura normalmente. Já para crianças com microcefalia, será investigada a extensão do dano para avaliar o atendimento necessário. Vamos avaliar a situação das crianças em uma linha de atendimento p/ definir condição clínica e planejar tratamento”.

De acordo com o secretário, o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), que vai agilizar a concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC), entrará no início do processo, colaborando com a busca e provendo proteção social para as famílias. 

“A família exerce papel fundamental na estimulação das crianças, por isso faremos cursos p/ q pais possam auxiliar. É preciso acolher estas famílias para incluir as crianças na sociedade”, ressaltou Beltrame. 

Já a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, declarou que esse é um momento muito importante na atenção integrada as famílias de crianças com microcefalia. 

“Precisamos garantir atenção e acolhimento para estas famílias. Neste fim de semana, já começamos com o INSS a fazer mutirões pra atender as crianças com requerimento da assistência. Queremos colaborar com a saúde para identificar estas famílias que ainda estão na incerteza do diagnóstico. Ofertar para as famílias tanto o serviço de assistência social como serviços de atenção continuada”, finalizou.


Carlienne Carpaso
Com informações do Ministério da Saúde
redacao@cidadeverde.com