Cidadeverde.com

Campanha contra Aedes e microcefalia causa polêmica

Uma campanha publicitária está dando o que falar em Catanduva (SP) depois que um hospital particular, com o objetivo de chamar atenção da população para o combate ao Aedes aegypti e a microcefalia, publicou em um jornal frases sobre a doença que o mosquito transmite. Para muitos moradores, a escolha das palavras usadas no slogan que cita a microcefalia não foi muito bem aceita.

A campanha tem a frase: “Deixe de ser cabeça pequena. Combata o mosquito que causa a microcefalia”.

O hospital psiquiátrico Mahatma Gandhi, responsável pela campanha, informou em nota que usou frases publicitárias de impacto para chamar a atenção da população para o problema e que lamenta qualquer constrangimento causado.
O anúncio da campanha está circulando diariamente em um jornal impresso em Catanduva.

Nas redes sociais o texto causou polêmica. Um usuário publicou o anúncio junto com uma crítica, e logo abaixo vieram os outros comentários. Alguns como: “que mau gosto”, “não é  piada?”, “há tantas outras metáforas possíveis, essa foi infeliz”.

Nas ruas, quem lê a frase pela primeira vez, também não tem uma boa aceitação. “Impressão é que a cabeça pequena não bate com a microcefalia, achei no sentido pejorativo a doença”, afirma a professora Aminadabe Pelegrim.

A campanha é do hospital psiquiátrico Mahatma Gandhi, assinada também pelo Sistema Único de Saúde e UPA 24 horas. O hospital Mahatma Gandhi também é gestor da UPA de Catanduva, por isso usou o selo da UPA e do SUS, informou.

Muitos casos de microcefalia em bebês no Brasil já foram associados a mulheres que contraíram o vírus da zika durante a gestação. A zika é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

Denúncia
Em Catanduva foram dois casos desde o começo do ano, mas nenhum em gestante. O médico de Catanduva Sidnei Moreno é delegado do Conselho Regional de Medicina. Ele diz que o conselho não recebeu por enquanto nenhuma denúncia com relação à campanha.

“A questão é de interpretação e isso, obviamente, mereceria uma reavaliação por parte da instituição que elaborou. Se houver notificação do conselho, este vai se manifestar”, afirma o médico.

A imprensa procurou o hospital para conversar com alguém sobre o anúncio. O setor do RH atendeu a equipe, mas ninguém podia falar sobre o assunto. Mas o jornal que circulou nesta sexta-feira (27) na cidade já veio com uma mudança.  A frase “deixe de ser cabeça pequena”,  foi trocada por “pare de pensar pequeno, combata o mosquito que causa microcefalia”.

O hospital disse em nota que a mudança na frase já estava programada. O conselho nacional que regulamenta a publicidade no Brasil disse que o caso será encaminhado à comissão de ética. No jornal, ninguém foi encontrado para falar sobre o assunto.

Fonte: G1