Cidadeverde.com

STF mantém condenação de 6 anos de prisão a radialista que matou garçom

O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins, manteve a sentença que condenou a 6 anos e 11 meses o radialista Ivan Carlos Carvalho Panichi. Ele é considerado culpado na morte do garçom João Antônio dos Santos, conhecido como João Fidelis, de Piripiri. O caso gerou grande comoção e repercussão na imprensa nacional mostrando filmagem do acusado que  após o crime foi beber em um bar próximo ao local do acidente. Ele respondia o crime em liberdade. 

O caso ocorreu na cidade de Piripiri, ao Norte do estado no dia 11 de setembro de 2010. 

Acusado foi preso em flagrante e julgado somente oito anos após  crime

 

O processo foi longo e cheio de recursos. O réu foi julgado pelo Tribunal do Júri e condenado a sete anos de prisão no semi aberto. Não aceitando a condenação, o acusado recorreu da decisão, que não foi aceita, mas conseguiu reduzir a pena para 6 anos e 11 meses. 

Inconformado com decisão do Tribunal de Justiça do Piauí, o réu recorreu ao STJ e hoje foi indeferido e mantido a decisão do Piauí.

 

Vítima era muito querida na cidade (foto: arquivo pessoal)

O radialista Ivan Panichi conduzia um veículo quando atropelou o garçom, na BR-343, em Piripiri. 

O filho de João Fidelis, Georliton Alves, informou ao portal Cidadeverde.com que recebeu com certo alívio a decisão. "Isso mostra que a luta não foi em vão. Isso mostra como as leis são frágeis. A justiça foi feita, que sirva de alerta e que outras famílias não passe o que a gente passou”, disse Georliton Alves. 

 

Flash Yala Sena e Tiago Melo
[email protected]