Cidadeverde.com

Mais dois irmãos são presos suspeitos de participação na morte de marido de secretária

Foto: reprodução WhatsApp


Mais dois irmãos suspeitos de participação na morte do empresário João Rodrigues Dias Neto, marido da secretária municipal de São Raimundo Nonato, no interior do Piauí, foram presos nesta quarta-feira (05), totalizando oito prisões, a maioria membros da mesma família. Precília Ferreira Pereira Fernandes e Luiz Ferreira dos Santos Neto foram localizados na própria cidade, prestaram depoimento na delegacia e foram  levados para audiência de custódia. 

Os irmãos teriam envolvimento na dinâmica e logística do crime que ocorreu em setembro deste ano e causou comoção. O empresário foi assassinado friamente na frente das filhas dias após ter sido apontado como responsável pela morte de um idoso durante um acidente de trânsito. Contudo, a Polícia Civil do Piauí concluiu que ele não teve culpa pela colisão.

Precília Ferreira e Luiz Ferreira, além de Paulo Ferreira e Patrícia Ferreira, eram filhos do idoso que morreu durante o acidente e teriam encomendado a morte do empresário por R$ 5 mil.

Foto: arquivo pessoal

Vítima não teve chance de defesa

Durante depoimento, os irmãos presos hoje declararam que só se manifestariam na presença do advogado. Na sequência, foram orientados a permanecerem em silêncio. Precília Ferreira  foi presa em casa e Luis Ferreira quando chegava ao trabalho, ambos em cumprimento a mandados de prisão preventiva. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil do Piauí. 

VEJA A PARTICIPAÇÃO DE CADA INVESTIGADO

Paulo Ferreira - filho do idoso e suspeito de ser o mandante do crime e preso no dia 20 de setembro;

Juniel Assis - suspeito de ser o executor do crime e  preso no dia 15 de setembro;

Juliermes - amigo de Paulo, que teria guardado a arma de fogo usada no crime e presenciado todo o planejamento do assassinato.

Patrícia Ferreira -  filha do idoso, irmã de Paulo Ferreira, apontado como o mandante do crime, que teria ajudado a planejar;

Mauro de Almeida -  marido de Precília e cunhado de Paulo, que é suspeito de saber do plano para matar o empresário e participar do pagamento;

Ronigleison - mototaxista, fazia alguns trabalhos para Paulo, e é apontado como o responsável por ceder o carro usado na logística de fuga que levou Juniel, o executor, a São Lourenço do Piauí. Ele também teria cedido seu veículo para fazer o levantamento da rotina da vítima;

Precília Ferreira- filha do idoso e irmã de Paulo apontada por participação na dinâmica e logística do crime;

Luiz Ferreira- filho do idoso e irmã de Paulo apontada por participação na dinâmica e logística do crime.

 

Graciane Araújo
[email protected]