Cidadeverde.com

Homem chantageia mulheres de cidade do Piauí em troca de vídeos eróticos

Um homem ainda não identificado está sendo investigado por usar o Facebook e o Whatsapp para tentar chantagear mulheres de São Raimundo Nonato em troca de vídeos eróticos. O caso está sob responsabilidade da Polícia Civil, mas pode contar até mesmo com apoio da Polícia Federal.

De acordo com a delegada de São Raimundo Nonato, Cynthia Verena, apenas uma mulher da cidade situada 515 quilômetros ao Sul de Teresina procurou a Polícia Civil para relatar sobre o fato.

"A vítima disse que o rapaz tinha um perfil no Facebook. Ele adicionou várias mulheres de São Raimundo Nonato. Dos 800 contatos dele, 100 eram daqui - e todas mulheres. Depois, ele passou a chantageá-la dizendo que divulgaria montagens dela caso ela não fizesse um vídeo erótico", relatou a delegada.

Segundo Cynthia Verena, a vítima quase caiu no golpe. "Ele dizia que tinha fotos dela - que ele pegava no álbum do Facebook da própria vítima. Ele se aproveitava da fragilidade feminina. Ainda bem que essa vítima teve o feeling de não fazer o vídeo, mas ela admitiu que quase fez. 'Quase fiz, doutora', me contou quando resolveu comunicar o caso à Polícia. Ainda bem que ela não cedeu às chantagens", contou.

A delegada de São Raimundo Nonato afirmou que, após a chantagem ter virado caso de polícia, o usuário identificado como Hugo Nogueira apagou o seu perfil do Facebook. Mesmo assim, a investigação proseguirá. "Ela avisou que tinha acionado as autoridades e ele já apagou o perfil dele. Vamos tentar rastreá-lo e localizá-lo".

Polícia suspeita de estrangeiro

A Polícia Civil ainda não identificou o golpista, mas a delegada Cynthia Verena acredita que não se trata de um brasileiro. "Ao que tudo indica, ele não é aqui do Brasil. Pelo número que ele usava no Whatsapp, parece português. O próprio português dele é parecido com o de Portugal", observou.

Caso seja confirmado que o criminoso é estrangeiro, o caso deve contar com o reforço da Polícia Federal. Antes disso, porém, Cynthia Verena explica que a investigação deve ser assumida pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Alta Tecnologia (DERCAT). "Vamos passar o caso para a Delegacia de Crimes Virtuais. Se for o caso, acionaremos até a Polícia Federal. Afinal, o telefone não é do Brasil".

Delegada faz alerta

Enquanto busca mais informações sobre o caso, Cynthia Verena faz um alerta sobre o uso correto das redes sociais. "É um perigo adicionar quem você não conhece. Não aceite esses convites. Caso aceitem e exista extosão, não ceda e procure imediatamente a Polícia. Se a vítima de São Raimundo Nonato tivesse cedido, aí sim ela teria problemas", finalizou.

Flávio Meireles
flaviomeireles@cidadeverde.com